Como nasceu Sebastian, o primeiro garoto-propaganda negro do Brasil

Criar uma afeição entre público e marca através da propaganda pode ser considerado um grande feito para uma agência. No Brasil, poucas marcas podem gabar-se por incluir seus bordões e garotos-propaganda na memória dos brasileiros.

É esse o caso da C&A. Afinal, se pensar em garotos-propaganda da TV brasileira, provavelmente um deles seja Sebastian, a dançante e animada figura do "Abuse e Use". Foi ele o primeiro garoto-propaganda negro do país, isso em 1990.

Mas de onde surgiu a ideia de "sacudir" os comerciais televisivos daquela forma? Segundo Woody Gebara, responsável pela criação do eterno personagem junto de Ralph Choate e Waldir Costa, a preocupação era trazer algo com que o público alvo se identificasse. "O desafio do brifieng era criar uma campanha hard-sell, mas que ao mesmo tempo fosse fashion, irreverente, inovadora e diferente. Pela conexão da marca com a classe C, desde aquela época, já me veio à cabeça um afro-brasileiro, que representa a maioria no país".

Unir diferentes elementos da indústria cultural foi o caminho para o sucesso da série de comerciais "Abuse e Use". Gebara, que atualmente preside sua agência, a Woodycom, integrava o time da Avanti, house a agency da C&A, quando a primeira campanha foi concebida.  "O primeiro comercial foi inspirado numa clássica cena de "Blues Brothers" (Os irmãos cara de pau), em que o cantor Cab Caloway animava uma grande plateia com a música "Minnie The Mutcher". O Sebastian incorporou todo esse conceito com sua presença e carisma e foi um sucesso", relembrou Woody.

Compare a cena ao comercial:

Outra curiosidade sobre os primeiros comerciais "Abuse Use" compartilha o mérito do sucesso com a marca. Segundo Gebara, foi o cliente quem propiciou o budget certo na hora certa. "O maior mérito foi do cliente. E também tivemos um pouco de sorte. Acontece que a C&A autorizou a verba de criação para o ano inteiro dez dias antes do Plano Collor, que congelou o passivo público e causou uma enorme redução no comércio e na produção industrial e que impactou a propaganda. Em uma semana produzimos 37 filmes. Com as verbas de outros clientes reduzidas, o comercial da C&A se destacava bastante nos intervalos da televisão brasileira", confidenciou.

A parceria entre Sebastian e C&A rendeu inúmeras campanhas, ações e desfiles até 2010, quando o contrato do garoto-propaganda se encerrou.

O ator e bailarino foi o principal referencial da marca, mas como manter a imagem de um personagem intacta durante 20 anos? "É preciso evitar o desgaste. Colocávamos o Sebastian apenas para anunciar as coisas mais importantes. Ele tinha que aparecer nos momentos mais nobres para não ficar algo repetitivo", afirmou Gebara.

 

Curiosidades:

- Sabia que, por 18 anos, a voz de Sebastian nos comerciais "Abuse e Use" não é mesmo dele? A rouca e frenética voz é, na verdade, do cantor e locutor Josias Damasceno. Por sua versatilidade vocal, Josias é um dos músicos mais requisitados pelas produtoras de som publicitário.

- Sebastian fez sucesso como garoto-propaganda, mas seu verdadeiro amor é a música. O dançarino é também cantor e lançou um álbum soul em um evento no SPFW.

- Em 1994, Bombril e C&A deram uma aula de bom relacionamento entre marcas e protagonizaram um momento épico da TV Brasileira: reuniram Sebastian e Carlos Moreno, dois dos garotos-propaganda mais amados do Brasil.

Por Luana Scalla

Deixe seu comentário: