Washington Olivetto e o produto que não tem marca nem slogan

Em 2003, a convite da Rede Globo, Washington Olivetto participou de uma iniciativa pela paz mundial durante o último Fantástico de março. O tema proposto era "O mundo hoje com a guerra", e cada um dos convidados - incluindo nomes como Tom Zé, Gilberto Gil, Deborah Colker, Luís Fernando Veríssimo, Siron Franco, Sebastião Salgado e Paulo Coelho - usou seu conhecimento específico para criar sua manifestação. Coube a Olivetto representar a publicidade.

"Ao contrário de atividades artísticas, como a literatura, a música, o cinema, o teatro e as artes plásticas, a publicidade, que é uma atividade que se utiliza de elementos das atividades artísticas, corre sempre o risco de parecer oportunista quando comunica causas sociais. Alguns anúncios passam a sensação de que foram feitos muito mais para promover os seus criadores do que para colaborar com a solução do problema.

Por isso e para não cometer esse erro, tanto eu quanto a minha equipe, quando criamos publicidade social, procuramos embutir na mensagem alguma proposta real e possível. Foi isso que tentamos fazer no comercial que vocês vão ver agora vendendo a paz – coisa que a publicidade sozinha, por mais criativa que seja, infelizmente não é capaz de fazer, mas que projetos educacionais consistentes poderiam conseguir", disse Olivetto à época.

O vídeo correu o mundo sendo premiado internacionalmente.

Confira o texto:

"Esse comercial não tem mulher de biquíni, não tem cachorro, não tem criança, não tem bebezinho. Esse comercial não tem casal, não tem beijo, não tem pôr-do-sol, não tem família tomando café da manhã. Esse comercial não tem música de sucesso, não tem efeito especial, não tem tartaruga jogando bola.

Esse comercial não tem gente famosa nem garoto-propaganda, porque esse comercial é pra vender um produto que ninguém precisa ser convencido a comprar. Esse comercial é para vender um produto que você adora consumir, e que por sinal, você até já comprou, só que não estão entregando. É um produto que não tem marca nem tem slogan, não tem embalagem nem faz promoção tipo leve três, pague dois.

Esse comercial é todo branco porque, desse jeito, ele pode ser entendido aqui e no mundo inteiro. Aliás, seria muito bom que esse comercial pudesse passar no mundo inteiro. Porque o produto que esse comercial quer vender é a paz.

Enquanto o pessoal que precisa comprar a paz não compra, faça assim: pegue o estoque de paz que você ainda tem em casa, e use. Use no trânsito. Use na fila do banco. Use no elevador. Use no futebol. Paz é um produto interessante, porque quanto mais você usa, mais você tem. E se todo mundo usar, quem sabe chegue um dia em que ninguém mais precise fazer um comercial para vender a paz."

Título: Paz

Filme – duração – 2’15"

Diretor de Criação – Washington Olivetto e Gabriel Zellmeister

Redator – Washington Olivetto e Ricardo Freire

Diretor de Arte – Gabriel Zellmeister

RTV – Reinaldo Sbrissa

Produtora – ABA Filmes

Diretor do filme – Andrés Bukowinski

Editor – Sylvio Renoldi Junior

Locução – Ferreira Martins

1ª veiculação – 30 março 2003.

Redação Adnews

Deixe seu comentário: