Localização é a nova busca

Com o crescimento e consolidação do mobile como a maior mídia disponível, a localização é um dos mecanismos que mais estão em alta ultimamente. O crescimento do mobile fez também com que o uso de mobile apps ultrapassasse o uso da Internet via browser. Hoje em dia, com o consumo de Internet concentrado nos apps, o uso de mecanismos de busca se tornou menor, abrindo caminho para a localização se posicionar como a nova maneira de entender o interesse do consumidor com alta precisão.

A possibilidade de mapear aparelhos celulares e, a partir deles, traçar perfis de consumidores torna a experiência publicitária muito mais completa e precisa. Apesar da busca fornecer muitos dados sobre interesse do público, localizar permite saber quais lugares as pessoas frequentam, de que elas gostam e até como se locomovem. Essas informações são a base para que uma campanha seja, antes de tudo, bem desenvolvida e, logo após, totalmente bem direcionada.

Apesar de ser a melhor alternativa para compreender interesse de compra e perfis de usuários, a localização precisa ser, antes de tudo, confiável. Ferramentas de localização indoor (que encontram um usuário quando em ambiente fechado) se mostram como uma tecnologia que proporciona um resultado mais preciso quando o assunto é geolocalização. É possível, por meio dela, obter com rigor informações sobre os usuários, que são base para as ações in loco. Os dados são, portanto, seguros, levando em conta que a tecnologia é responsável por uma precisão de poucos metros.

Segundo o eMarketer, companhia independente de pesquisa sobre marketing, estudos de caso demonstram que mobile ads que utilizam geolocalização geram um aumento de 2.5x de visitas às lojas físicas. A partir disso conclui-se que a tendência geral é cada vez mais buscar informações ligadas à localização, além de comprovar que os resultados provocados pelo uso de geolocalização em campanhas publicitárias vão além da taxa de cliques, impressões e do buzz por si só.

Artigo de André Ferraz, CEO da In Loco Media

Deixe seu comentário: