Como estimular mudanças comportamentais no ambiente corporativo

Um dos grandes desafios de gestão em pequenas, médias ou grandes empresas é a indução de mudanças significativas no comportamento dos colaboradores. Torna-los mais engajados e produtivos depende de fatores difíceis de serem identificados até pelos gestores mais experientes.

Aspectos como as características pessoais dos indivíduos e suas aptidões “naturais” para a liderança são sempre levados em consideração por gerentes e diretores, mas o que poucos sabem ou conseguem perceber é que o simples ato de classificar os funcionários em grupos de “inteligentes”, “eficientes”, “metódicos” e outros tende a moldar a maneira como se comportam e, mais do que isso, pode influenciar sua capacidade produtiva.

“A expectativa negativa que um chefe tem de um funcionário pode condicioná-lo a falhar”, disse o Dr. Shlomo Ben-Hur, PhD em psicologia organizacional e professor de Liderança e Comportamento Organizacional do International Institute for Management Development (IMD) da Suíça. A reflexão aconteceu durante café da manhã com diretores de Recursos Humanos realizado em outubro pela Consulting House, a maior empresa de relacionamentos corporativos da América Latina.

A expectativa negativa que um chefe tem de um funcionário pode condicioná-lo a falhar.

Especialista em psicologia e cultura de liderança, educação corporativa e gerenciamento de talentos, Ben-Hur explicou que esse tipo de postura das chefias cria nos colaboradores um sentimento de “medo” que os impede de abordar os problemas que estão enfrentando no ambiente corporativo. Por isso, segundo o especialista, a mudança só pode acontecer se as condições do ambiente forem favoráveis.

“O ambiente e o contexto são fundamentais para que haja mudança comportamental no ambiente corporativo. Eles são o suporte para que haja transformação. Por isso, é necessário que o gestor aja de maneira diferente”, disse Ben-Hur.

Nesse sentido, o professor agrupou os quatro fatores fundamentais para a mudança comportamental no ambiente corporativo sob a sigla Maps, acrônimo em inglês para motivation (motivação), abillity (habilidade), psychological capital (capital psicológico) e supporting environment (ambiente favorável).

O ambiente e o contexto são fundamentais para que haja mudança comportamental no ambiente corporativo.

Resumidamente, a teoria desenvolvida por Ben-Hur mostra que os profissionais que têm as habilidades e as características psicológicas necessárias para determinada função podem alcançar resultados significativos se estimulados por um ambiente favorável e motivados por suas lideranças. Na opinião do especialista, a mudança comportamental no ambiente de trabalho depende de que o contexto seja moldado para que os colaboradores tenham condições de fazer suas próprias escolhas. “Uma simples mudança no ambiente pode estimular a transformação”, diz.

O café da manhã com o Dr. Shlomo Ben-Hur foi mais um dos eventos promovidos pela Consulting House para estimular a aproximação entre líderes empresariais dos mais variados setores econômicos do mercado brasileiro.

Native Ads

Deixe seu comentário: