Como as redes sociais mudaram a televisão brasileira

Conectar-se com sua audiência independentemente da plataforma é um dos muitos desafios das empresas de mídia, que tentam desbravar os caminhos para entender e engajar seu público a todo custo. Já falamos sobre como está este ambiente na visão tanto dos canais quanto das redes sociais (veja aqui). Agora, nesta parte do especial, abordaremos alguns exemplos que deram certo.

O Twitter realizou no mês passado a sua primeira transmissão de um evento ao vivo no Brasil diretamente da plataforma. O primeiro Live brasileiro via Twitter foi feito em parceria com a TV Record (@recordtvoficial) e patrocinado por Pantene (@PanteneBrasil).


Com o Live, a ideia é trazer uma nova maneira para que os parceiros da plataforma possam ampliar o alcance de suas transmissões, o que para Sergio Floris, diretor de parcerias de entretenimento do Twitter para a América Latina “estimula as conversas em torno dos programas, traz engajamento e gera receitas”. No primeiro trimestre de 2017, o Twitter transmitiu globalmente mais de 800 horas de conteúdo premium ao vivo, com cerca de 300 parceiros, como emissoras de TV, cobrindo cerca de 450 eventos.

"Uma forma de atingir um novo público e possibilitar que a audiência possa engajar com o conteúdo."

Dentro do Facebook, conforme explicado pelo diretor de parcerias de mídia do Facebook para América Latina, Luis Olivalves, existe uma equipe de parcerias de mídia que trabalha com atletas, figuras públicas, criadores de conteúdo, organizações esportivas, jornalistas e meios de comunicação para compartilharem as melhores práticas no uso das suas ferramentas, além de como se conectar com suas audiências e alcançar seu potencial máximo dentro das plataformas próprias da marca. “Pela escala que nossa plataforma alcançou no mundo, com dois bilhões de pessoas ativas por mês, assim como no Brasil, tendo mais de 117 milhões de pessoas ativas todos os meses, ela é muito procurada pelos criadores de conteúdo para parcerias e divulgações, como uma forma de atingir um novo público e possibilitar que a audiência possa engajar com o conteúdo não importa onde ela esteja”, garante Olivalves.

No Brasil, a Band iniciou em junho do ano passado a transmissão ao vivo do Jornal da Band pelo Facebook, permitindo que as pessoas pudessem acompanhá-lo de qualquer lugar e a partir de uma experiência nova, interativa e cada vez mais próxima do público.

Em dezembro do ano passado, o Facebook também lançou a ferramenta de vídeo Live 360. E, no Carnaval deste ano, a Globo News utilizou o recurso de transmissão ao vivo em 360 graus pela primeira vez na América Latina, para captar os principais momentos da cobertura dos blocos de rua no Rio de Janeiro (Veja aqui).

Programas como Master Chef utilizam diversas integrações com o Twitter para engajar os fãs. Durante a exibição de cada episódio, tweets selecionados do público do reality show são mostrados na tela, levando para a TV as principais conversas sobre o assunto que acontecem em tempo real no Twitter. Além disso, o já tradicional contador no canto da tela informa, em tempo real, o volume de Tweets sobre o programa e, quando a hashtag #MasterChefBR entra na lista de assuntos mais comentados do momento, um alerta de Trending Topic será mostrado na TV.

O perfil do programa no Twitter também traz enquetes em tempo real.

O canal Multishow também tem apostado forte numa cobertura em tempo real no Twitter, com muitos conteúdos em vídeo e gifs para estimular a conversa em torno de seus programas (Veja aqui). 

O SBT é um fenômeno inclusive nas redes sociais, o canal investe no crossmedia entre seus artistas colaboradores, o que tem dado bastante resultado em buzz, que na visão de Rodrigo Marti, diretor multiplataformas do canal é uma conquista positiva tanto para a empresa quanto para os profissionais.

O universo multitela é uma realidade dentro deste outro em constante movimento. Assim, manter-se em movimento para acompanhar esta mudança é imprescindível.

Flávia Hill

Deixe seu comentário: