Estudo mostra que VIVA une gerações e é visto, principalmente, por estudantes e trabalhadores

Se como diria Tom Jobim “o Brasil não é para principiantes”, os tempos atuais não são para pessoas de coração fraco. Com a crise econômica, problemas políticos e o debate sobre dados nas redes sociais, o contato com as boas coisas do passado apaziguam o presente e ajudam a suspender a tensão do futuro.  

Em um momento de mudanças, se reconectar com produções clássicas, traz tranquilidade e segurança.  Além disso, o reencontro com conteúdos nostálgicos une as pessoas que viveram aquela época e outras que não estavam lá, mas têm curiosidade de entender o porquê de certos personagens como Chacrinha, Mussum e Família Dinossauros serem relevantes até hoje.

Conhecido por valorizar o passado e a conexão entre gerações, o VIVA se atualiza com nova identidade visual e vai às ruas conhecer melhor sua audiência e o clima do país. Em parceria com Studio Ideias e o instituto Análise, VIVA buscou conhecer melhor o perfil do seu público e como as pessoas interpretam sua programação.

O estudo mostrou a força de uma narrativa poderosa no universo do entretenimento. Os conteúdos do VIVA despertam a memória afetiva, valorizam vínculos familiares, aproximam sem criar embates e despressurizam as tensões do dia a dia.

VIVA é para toda família, incluindo os jovens

Em meio a diversos insights, a pesquisa apontou que o canal não é igual a TV aberta e diferentemente do que é pensado por uma parcela da população, 85% do público do canal é economicamente ativo ou estudante. 

No momento em que são levantadas as coisas mais importantes para os entrevistados, o principal valor levantado por eles é família. Agregador, ele consegue unir netos e avós que riem de programas como “A Turma do Didi”, “Sai de Baixo” e “Escolinha do Professor Raimundo”.

Quando o assunto são novelas como “Explode Coração”, “Malhação” e “Bebê a Bordo”, o poder de integração do VIVA mostra-se ainda maior. Os números de audiência do linear corroboram o forte interesse pelo VIVA: ele é TOP 10 no ranking da TV por assinatura (*).

VIVA também sabe falar com quem não sai da tela do celular 

Diante dessas interpretações e da atualização do conceito de marca, o VIVA reforça o posicionamento de que não é um canal nostálgico, mas um veículo atual que traz leveza e diversão para o presente porque é uma seleção de clássicos. Assistir TV pode ser algo leve e VIVA  é uma boa opção de entretenimento para a geração que não sai da tela do celular.

Para comunicar sua grade, o VIVA se apoia em postagens divertidas e atuais que engajam milhares de seguidores nas redes sociais. Para se ter uma ideia, algumas de suas publicações feitas há poucos meses têm um alcance de quase 5 milhões de pessoas. Confira abaixo os posts de maior sucesso da fanpage seguida por mais de 3 milhões de usuários e um infográfico dos conteúdos que tiveram maior êxito desde dezembro:

Além de uma estratégia em social media que gera conversas nas redes, o VIVA levou para o ar, com o lançamento de nova identidade visual e verbal, a linguagem de quem não sai da web. E  para também estabelecer contato direto com os anunciantes, o VIVA criou um endereço destinado a eles. 

Dessa maneira, VIVA prova que é ponto de integração de diversas gerações, classes sociais e segmentos do mercado. Mostrando que pontes entre o passado e o presente trazem o conforto e segurança para olhar para a frente, ressignificando o que aconteceu antes para dar novo sentido ao que ocorre hoje e ao que virá.

Native Ads

Deixe seu comentário: