Redes sociais: quem chega primeiro tem a faca e o queijo na mão

Há inúmeras teorias e guias de boas práticas, disseminadas pelo mercado, sobre estratégias e ações de social media. Estudos e pesquisas também tentam, o tempo todo, indicar quais são os melhores métodos e as melhores ferramentas de gerenciamento das plataformas. Sedentas por engajamento, algumas marcas gastam milhões de dólares tentando aumentar a sua base de fãs.

Mas qual é o segredo para dominar o território e conseguir se dar bem nas redes sociais? De acordo com um recente relatório do Business Insider, um dos itens essenciais para determinar o sucesso de uma marca nas redes sociais está em “chegar lá primeiro e manter as luzes acesas”. Em outras palavras, o estudo mostra que apostar em plataformas emergentes é uma boa estratégia.

“Os primeiros a aderirem à plataforma exploram 100% do alcance orgânico."

Para Valeria Guerra, business development da rede social Pip, que reúne foodlovers e atrai uma audiência de até 30 mil usuários diariamente, quem chega mais rápido tem a possibilidade de se apropriar do território e da linguagem de uma maneira mais consistente que seus concorrentes. “Os primeiros a aderirem à plataforma exploram 100% do alcance orgânico e conseguem construir uma base de fãs de forma acelerada, impulsionada pelo crescimento exponencial da rede social”, afirma.

Entre as marcas que já apostam no Pip, estão empresas como Electrolux, Carrefour, Friboi, Nesfit, Queensberry, Bretzke, Panco, Jasmine, Edu Guedes, M Dias Branco, Nespresso, Masterchef Brasil, Wessel, Seara, SBT e ZoominTV.

Além do poder de guiar a linguagem que será utilizada na nova rede social, quem chega primeiro também consegue aumentar bastante o seu potencial de engajamento, sobretudo em universos que conseguem reunir uma comunidade de usuários que "fala a mesma língua". No caso do Pip, a gastronomia. “Nossa plataforma é criada para quem gosta de compartilhar receitas, mostrar seus dotes culinários ou simplesmente é amante da cozinha e busca inspirações deliciosas", explica Valéria.

No Pip, que é uma espécie de releitura tecnológica dos antigos cadernos de receita, os usuários podem compartilhar conteúdo com amigos, curtir e comentar seus pratos, além de interagir com perfis de marcas, blogueiros, chefs e celebridades. Já para marcas, as possibilidades são diversas e vão desde as ações gratuitas, como criar fanpage, ter url personalizada e criar comunidades, até as ferramentas pagas, com opções de patrocínio de posts e espaços especiais para banners segmentados de acordo com as características dos targets, incluindo geolocalização.

Confira abaixo alguns dos principais insights do estudo do Business Insider e a importância de identificar redes sociais emergentes, com grande potencial de sucesso, e chegar primeiro:

Há um "efeito de adoção precoce" positivo nas mídias sociais: para a maioria das marcas, chegar primeiro significa também conseguir reunir mais rapidamente um número interessante de fãs em sua página. Gráficos de dispersão simples, estatísticas e linhas de tendência mostram que há uma relação clara entre adoção antecipada nas plataformas e o tamanho do público nas redes sociais mais utilizadas. 

Chegar primeiro significa também conseguir reunir mais rapidamente um número interessante de fãs.

O efeito da “adoção precoce” é mais importante para marcas de pequeno e médio porte: a relação entre o período de tempo em uma rede social e a quantidade de fãs é mais forte ainda para marcas que não se enquadram no conceito de “megabrands”. Essas empresas que não tem renome global devem pensar especialmente em aderir às plataformas de mídia social emergentes mais cedo, antes de seus concorrentes.

Naturalmente, aderir cedo não é a única fórmula para o sucesso: muitas marcas entram nas redes sociais mais cedo, mas não estabelecem diálogos com o público, ignorando as vantagens que desfrutam diante de seus concorrentes. Ainda assim, a análise do Busines Insider sugere que os “adotantes iniciais” têm uma chance muito maior de superar o número de seguidores alcançados por seus rivais.

Para saber mais sobre o Pip acesse a versão desktop ou baixe o app (disponível na App Store e Google Play).

Native Ads

Deixe seu comentário: