Dicas e guia de sobrevivência para o SXSW

Lançado em 1994, o SXSW Interactive mudou muito ao longo do tempo. Foi no SxSW que aconteceu o lançamento de empresas como Twitter e Foursquare, para não mencionar várias outras startups que, infelizmente, não desfrutaram o mesmo sucesso que esses dois. De fato, hoje o festival conta com uma programação que cobre desde educação até jogos, cinema, música e stand-up comedy, passando por moda, exploração espacial e medicina.

Para aproveitar tudo que o evento oferece separei mais 10 dicas para já ir colocando na sua listinha e a primeira parte do Guia de Sobrevivência do SXSW.

1. Se você não andou por Honduras, Benin ou mesmo Ruanda recentemente, você já ouviu falar em “quantum computing”. Mas o que significa dar acesso a essa capacidade de processamento a milhões de pessoas? Da IBM, Dr. Jerry Chow (em 2012 ele era 30 under 30, faça a conta), da fantástica 1Qbit, Andrew Fursman, da D-Wave, Bo Ewald (com passagens por Silicon Graphics, Linux Networks e um currículo de dar nervoso e da UT, Antia Lamas-Linares. Quantum computing: Science Fiction to Science Fact vai deixar todo mundo doidão com o que está por vir.

2. Eu sei que sempre falo em ir pra Marte, mas, como diz o Buzz Aldrin, tem que fazer escala na Lua. Bob Richards, fundador e CEO da Moon Express nos agraciará com sua presença e, eu não sei vocês, mas eu pretendo estar na primeira fila.


Bob Richard (Reprodução: Youtube)

3. Outra presença ilustre é Dean Kamen, inventor, ativista humanitário e fundador de uma organização que vai transformar em realidade a ideia de imprimir órgãos humanos com facilidade. Dean vai falar de medicina regenerativa e fabricação de tecidos humanos.

4. Se você é daqueles que acha que biohacking é algo que só se faz em laboratório, essa é pra você. Dave Asprey, fundador da BulletProof, vai perguntar à audiência o que achamos de ter, além de desconto na academia, vale-Uber, massagem e café da manhã com pãozinho fresco; acesso a smart drugs como parte dos benefícios oferecidos pelo empregador. Asprey também é host do podcast BulletProof Radio (adoro) e o café deles é uma delícia, eu garanto.

5. Para quem gosta de saber o que vai acontecer amanhã no dia de hoje e acha que o horóscopo não tá entregando o suficiente: Amy Webb, professora na NYU Stern e uma das futuristas mais interessantes do presente, vai dar um panorama de tendências em tecnologia e certamente vai valer a pena. Sua empresa, a Future Today Institute, lançou recentemente um relatório em que prevê que 2018 é o começo do fim da dominância dos smartphones nas economias desenvolvidas. Essa que vos fala concorda veementemente com ela. Why? Because smart speakers, honey.

6. Para os interessados em arquitetura, arte e intervenções urbanas, o nome dela é familiar. Janet Echelman é uma artista de mãos cheias e seu trabalho é reconhecido globalmente. No ano em que os carros autônomos devem realmente ir para o mainstream, vai ser uma delícia pensar em como repensar as cidades para criar pontos de encontro para as comunidades locais.



7. E já que é ano de eleição na terrinha e em tempos de homem laranja tudo pode acontecer, vale assistir Teresa Acuña, Associate Director of the Ash Center’s Democratic Governance em Harvard. Acuña trabalhou para a National Hispanic Leadership Agenda e tem experiência nas esferas políticas estaduais e federais nos EUA. Ela vai falar sobre sobre o movimento #resist do ponto de vista de infra-estrutura e, dado que o SxSW vai rolar depois dos Jogos Olímpicos de Inverno (dica: Mike Pence está levando o pai do rapaz que morreu depois de ficar preso na Coréia do Norte e o Little Rocket Man  está mandando a irmã junto com sua delegação), qualquer papo sobre o assunto será muito interessante.

8. Tá, mas vamos falar de craft? Vamos. Quem gosta de cinema e televisão, ou qualquer conteúdo em vídeo, really, sabe que um bom editor faz toda a diferença. O painel com Kabir Akhtar, Kelley Dixon e Josh Ear, de Crazy Ex-Girlfriend, New Girl, Breaking Bad, Better Call Saul, Deadliest Catch Mark e Hamill’s Pop Culture Quest promete, já que, entre eles, são dois Emmy’s, alguns dos programas mais assistidos e celebrados do planeta e, certamente, algumas histórias bem divertidas de bloopers.

9. Pouca gente nesse nosso planeta sabe construir marcas tão bem quanto a turma que quer nos levar a outros planetas. Yup, tô falando da NASA. Na falta de um, teremos quatro panelistas da NASA JPL para falar de storytelling. Entre conseguir que uma cidade parasse para assistir à chegada de um robô a Marte, angariar 10 vezes mais seguidores para esse robô do que tem o nosso menino Medina e ter duas vezes o número de apaixonados por suas imagens do que nossa lady Gisele, eles acham tempo para AMAs no Reddit e para estudar dark matter. Entendeu por que eu torço o nariz quando alguém me fala que é especialista em branded content?

10. Finalmente, se você achava que os aliens não teriam vez, think again. Outros dois cientistas e um tecnólogo da NASA JPL e o Dr. Robert Hurt, da Caltech, que ajuda a NASA em VR vão nos contar das missões em busca de vida em outros planetas. Quem sabe a gente não vai conhecer um ET?

Fernanda Romano é sócia-fundadora da Malagueta, e co-fundadora do Coletivo WeLove, plataforma de conteúdo original lançada na segunda metade de 2015. Foi selecionada pela AdAge em 2012 como uma das 100 mulheres mais influentes da comunicação mundial, ao lado de nomes como Arianna Huffington e Sheryl Sandberg. É também membro do Creative Social e tem passagens por Grupo Havas, DM9DDB, Lowe e Naked Communications.

O SXSW Insights tem o apoio do Malagueta Group e do Little Brasil – Brazilian Neighborhood, projeto que constrói experiências de conhecimento, educação e imersão sobre o mercado de comunicação, levando todo o potencial criativo, inovador e empreendedor do país ao redor do mundo.

Deixe seu comentário: