SXSW, conteúdo e contexto

Estar aqui em Austin e escolher um assunto de comunicação para compartilhar com o Brasil e com Adnews não é tarefa fácil.

Tem muito conteúdo parecido e envelopado com nomes diferentes.

Também tem segmentação desses conteúdos para tribos específicas. De tecnologia a humanização de conteúdos encontrei de tudo um pouco. Mas vale ressaltar que nós no Brasil temos bons estrategistas para comunicar.

Das últimas conversas com Daniel Conti da Vice, expert no assunto, o Rafael Kiso, outro brasileiro que aplicou branded content para uma marca incrível, e alunos que fazem aulas na ESPM, percebi o quanto sabemos e quantos talentos temos para criar em novos formatos e gerar modelos de negócio.

As novas formas de se comunicar que vi aqui não são exatamente novas. Elas estão sendo ressignificadas e mostrando que tudo dependerá de contexto.

É como se tivéssemos que microsegmentar a comunicação em plataformas para a audiência.

As pessoas estão consumindo em plataformas. E isso muda a forma de gerar comunicação. Se alguém está ouvindo música, ela jamais quer ser interrompida, por exemplo. Colocar uma marca nessa situação exige um conhecimento enorme sobre sua audiência. Porque não dá para invadir. Não se pode interromper o entretenimento de seu público.

E mesmo com todo cuidado que uma marca pode ter ao se inserir nesse contexto, ela pode errar. E gerar desprezo ou haters pelo que fez.

Se estamos todos consumindo plataformas de conteúdo, como fica a propaganda tradicional da TV, rádio, jornal, revistas? Ela morre?

Eu arrisco dizer que dependendo do contexto do país, o que vai acontecer é uma ruptura dos velhos modelos para... O nascimento dos novos. Criaremos novos paradigmas para comunicar. 

Sim, é verdade que teremos micro conteúdos, comunicação de 3 a 6 segundos, uso de voz e crescimento de podcasts e outras formas de se comunicar com os assistentes virtuais como a Alexa por exemplo. E alguém vai se interessar pela sua comunicação? Pelo seu conteúdo? Sim, mas somente se você contar boas histórias.

O storytelling esteve à frente de todas as palestras que fui. De tecnologia a música, ele permeia o que pode dar certo ou errado.

A tecnologia vai mudar de maneira cada vez mais rápida, mas nosso interesse em boas histórias parece se perpetuar ainda, independente do formato.

Nas novas formas e formatos de comunicar teremos o branded content, o micro e macro conteúdo, games, filmes como Lego, podcasts e muitos outros.

O contexto da marca que deseja comunicar com sucesso vai depender de um assertivo briefing, um storytelling envolvente, integração entre marca e plataforma e obviamente uma boa distribuição desse conteúdo.

Será preciso entreter sua audiência. Entender cada vez mais quem é essa audiência naquele micro momento de consumo.

E por fim, não esquecer que o  storytelling de sucesso de uma marca terá que ser autêntico. A ficção pode e deve ser usada desde que a marca seja verdadeira. Que tenha coerência e aderência entre a história contada e suas ações como marca.

O aprendizado final sobre novas formas de comunicar é que seremos intolerantes ao que não queremos que entre em nossas vidas sem pedir licença. Não temos tempo a perder.

Nosso detector de mentiras e bobagens estarà cada vez maior e mais afiado.

E por isso as oportunidades para criar novos modelos para as marcas a partir da comunicação e comunidades de audiência são enormes. Contexto será a palavra chave para definir sua estratégia de comunicar.

Martha Terenzzo é diretora da Inova 360º, empresa de inovação e negócios. Mestre em consumo e comunicação, também dá aulas sobre Inovação, Contexto Criativo, Branded Content, Storytelling e Multibranded Entertainment na ESPM, além de palestrar em eventos nacionais e internacionais. Em 2016, ela lançou o livro “O Guia Completo de Storytelling”.

O SXSW Insights tem o apoio do Malagueta Group e do Little Brasil – Brazilian Neighborhood, projeto que constrói experiências de conhecimento, educação e imersão sobre o mercado de comunicação, levando todo o potencial criativo, inovador e empreendedor do país ao redor do mundo.

Deixe seu comentário: