El Ojo 2016

O Uber chega para todos

John Lynn

O mercado deve ligar o alerta quando um executivo da maior holding mundial da indústria de comunicação fala sobre a necessidade de mudanças cada vez mais rápidas nos mais diversos setores, incluindo a propaganda? Assistindo à apresentação de John Lynn, CEO e diretor regional da Young & Rubicam e Wunderman América Latina, durante o El Ojo, parece que sim. O publicitário subiu ao palco da principal sala de conferências do Hilton, em Buenos Aires, para falar sobre inovação com a palestra “A todo mundo chega seu Uber”.

Para Lynn, a revolução tecnológica não mudou as predileções e sentimentos humanos, mas transformou profundamente o comportamento das pessoas, especialmente na última década. “O ser humano sempre quis flertar, fazer network, ser popular, dizer boatos e se apaixonar, mas agora faz isso de uma maneira muito mais digital”, explica. Em sua visão, as agências precisam se precaver para não sofrer uma espécie de “efeito Uber”, que seria equivalente a perder terreno para um negócio mais disruptivo. “Temos que ajudar nossos clientes a serem cada vez mais relevantes na vida dos consumidores”, acredita.

Ganhar importância e se posicionar como um parceiro para as pessoas, segundo Lynn, requer basicamente três direcionamentos básicos: entender que o nosso DNA digital está em constante evolução, perceber que as marcas não devem mais simplesmente anunciar, mas se relacionar com o público e, por último, saber que “estamos pedindo aos irmãos Wright que pilotem um moderno boing 747”. Esse último tópico diz respeito ao talento que continua sendo essencial, mas que é necessário trabalhar com novas ferramentas.

Entre diversos outros insights, Lynn explicou como a hiperconectividade acelera a participação do consumidor, horizontaliza a relação entre pessoas e empresas e ao mesmo tempo faz com que todos se multipliquem em cinco para gerar ou receber conteúdo. “Agora os consumidores não são mais passivos diante da comunicação das marcas”, ressaltou. Sobre as ferramentas para estabelecer essa conexão, ele explicou que em muitos casos a experiência real supera a virtual. Para exemplificar, o publicitário exibiu nos telões a campanha “Actual Reality” criada pela Y&R da Nova Zelândia para a Jaguar.  

Lynn prosseguiu a palestra dizendo que as marcas precisam urgentemente seguir os princípios básicos que as tornam mágicas. Como um case que segue essa filosofia, o executivo mencionou a campanha “Segredo”, criada pela Y&R Brasil para a Bic. A marca criou uma dinâmica, quase uma pegadinha, no Colégio Santo Amaro no Rio de Janeiro, na última prova do ano. A surpresa? Os pais que participariam de uma reunião escolar também foram colocados à prova e tiveram que responder as mesmas questões do teste que seus filhos faziam na sala ao lado.

Para fechar seu raciocino, Lynn afirmou que todo mundo recebe seu Uber, mas sobrevivem apenas aqueles que decidem mudar ao invés de ficarem parados. Antes dos aplausos entusiasmados da plateia, o publicitário finalizou a apresentação com uma frase de Albert Einsten para a reflexão do público: “A mente é como um paraquedas, só funciona quando está aberta”.

 

Deixe seu comentário: