ADFestivals

Painel da Adobe mostra a importância de ser um criador de experiências

sd

O Adobe Summit é um evento anual em que os colaboradores da empresa de tecnologia americana conversam com patrocinadores, imprensa e parceiros para apresentar as novidades da companhia e divulgar por meio de diversas apresentações um cenário sobre o mundo atual e o seu futuro.

Com público estimado de 14 mil pessoas, o encontro acontece no hotel Venetian em Las Vegas de domingo (25) até quinta-feira (29). Durante esses dias ocorrerão conversas, demonstrações e palestras.

Para dar as boas-vindas e mostrar o que tem sido feito, os organizadores prepararam um painel com Shantanu Narayen, presidente e CEO da Adobe, Brad Rencher, EVP e GM digital marketing da Adobe, James Sommerville, VP de design da Coca-Cola, David Godsman, chief digital officer da Coca-Cola e John O´Sullivan, diretor e CEO do Ministério de Turismo da Austrália.

Com o nome de “Become a Experience Maker”, o bate-papo abordou como as marcas podem projetar e fornecer experiências que surpreendam o consumidor. Também foi falado de que maneira o Adobe Experience Cloud junta dados de modo criativo para gerar um conteúdo que seja destinado para a pessoa certa no lugar recomendado e momento exato.

“Quando você se lembra de acontecimentos importantes de sua vida como uma viagem especial e o nascimento do primeiro filho, é comum relembrar os detalhes, mas o que prevalece ao evocar esses momentos são os sentimentos causados por aquela experiência”, disse Narayen para mostrar como o envolvimento emocional influencia a nossa vida.

“Pessoas quando consumem algum item compram experiências e não produtos. Quando alguém adquire uma reserva em hotel, programa o final de semana ou até curte um simples café o que o individuo busca é sentir uma experiência”, completa o executivo.

Propiciar esse momento especial de consumo não é fácil e todos os dias profissionais trabalham duro para criar isto. Com a ajuda de dados, a Adobe investe em plataformas que procuram impactar e deixar legados. Famosa pelo Photshop, Illustrator e seu leitor de PDF, a empresa quer agora mostrar para o mundo o poder dos dados e da interligação de informações.

Para apresentar o que já vem sendo feito, foram compartilhados cases de como essa expertisse tem mudado a vida de bilhões sem que muitas vezes sequer seja percebido o esforço por trás de funcionalidades que podem parecer simples

“agora mais do que nunca é necessário transformar a experiência no seu negócio. Um exemplo simples desses aconteceu comigo: ano passado eu viajei 150 milhas com a Delta e toda vez que eu despachava as minhas malas ela enviava um SMS enquanto eu estava no avião que avisava que estava tudo bem com elas. E aquilo fazia uma diferença enorme”, comentou Bred Bencher, VP de Experience Cloud.

Com esse conceito, a gigante americana foca seus esforços na criação de um perfil unificado para surpreender cada pessoa. “O mundo de hoje nos obriga a ir além das expectativas. Pode parecer incrível, mas o iPhone também serve para ligações. Porém ele não é desenvolvido para isso. Ele é feito para surpreender”, concluiu Bencher.

Para mostrar o que algumas marcas parceiras têm feito para surpreender os consumidores, os executivos comentaram a campanha do Ministério de Turismo da Austrália que usou os dados e a inovação para conceber um filme tão bem-humorado que nem parece institucional. Confira:

Consciente da importância de acertar em cheio conteúdo e local de sua veiculação, a empresa criou a Adobe Target, ferramenta usada pela Mercedes, por exemplo, que permite em poucos cliques transformar uma paisagem desértica em uma estrada lamacenta em segundos. Dessa maneira, o grupo automotivo consegue conversar de maneira mais empática com a audiência.

Outra gigante que também se esforça para se pôr nos sapatos do consumidor e tem conseguido estreitar a relação com dezenas de seus mercados é a Coca-Cola. No hotsite colaborativo é possível ver trabalhos do mundo inteiro que exaltam a cultura da companhia de bebidas patrocinadora da Olímpiada de 2020 no Japão. Veja algumas peças:

Diante da compilação dos principais cases e novidades, é possível perceber como a Adobe se posiciona como uma empresa de tecnologia que se mantém aliada da criatividade e busca usar a empatia ao cliente para cria experiências únicas.

Perguntado sobre os próximos passos da companhia, Narayen disse que “ tudo isso é apenas o começo” e ao ver o vídeo sobre o desenvolvimento do Sensai, plataforma de inteligência artificial da Adobe, vemos que o executivo não blefa e só uma coisa parece ser maior do que a quantidade de dados que as empresas têm hoje: as possibilidades do que fazer com eles.

 

Deixe seu comentário: