Face priorizará posts de amigos e familiares. O que isso pode significar para quem é social media?

face

O Facebook divulgou ontem, que nos próximos meses, fará uma mudança no ranking do Feed que, em resumo, dará prioridade para posts de amigos e familiares, e com isso, o alcance de Páginas será (ainda) menor (veja aqui).

A questão não é se haverá uma diminuição no alcance orgânico ou não, e sim, do quanto cada página terá de redução. Diante disso, você pode apenas reclamar ou se adaptar de algumas maneiras:

1) Sabendo que publicações com poucas reações ou comentários poderão ver os maiores declínios, seu desafio é ser relevante para sua audiência. Mas atenção: não vale apelar para ter engajamento, pois, conforme já comunicado anteriormente pelo Facebook, posts que usam sistematicamente essa estratégia terão seu alcance reduzido (veja aqui).

2) Sim, cada vez mais você terá que investir em anúncios para alcançar mais pessoas. Se ainda não anuncia, nunca é tarde para começar. Comece, nem que seja com R$50 por mês, mas comece.

Assim como ter espaço em rádio, jornal e televisão nunca foi de graça, não é um problema pagar para alcançar seu público no Facebook e Instagram de maneira tão precisa, como nenhuma outra mídia permite, para gerar resultados com isso. Também vale considerar que tivemos e ainda teremos algum de alcance de graça, mesmo que seja cada vez menor.

Você pode não gostar do fato do alcance orgânico ter caído tanto nos últimos anos. Eu também não gosto. E também creio que poderia ter havido alguma compensação para marcas que investiram tanto em captação de fãs no passado. Mas, o fato é que as mudanças ocorreram e, no cenário atual, nenhuma outra rede social oferece todas as possibilidades que temos com o Facebook.

Você tem escolhas.

Pode reclamar, abandonar o Facebook e pode deixar muito dinheiro em cima da mesa por isso. Ou pode se adaptar.

Com tantas mudanças e desafios, ser um bom social media ou analista de mídia não será mais um diferencial, e sim, uma exigência, no qual os melhores continuarão a ter cada vez mais espaço.


Fábio Prado Lima é diretor da AdResults e professor do Face Ads Descomplicado

Deixe seu comentário: