O difícil verão americano para o cinema

Mulher Maravilha

Geralmente, o verão americano é aquele período onde os estúdios de cinema resolvem programar suas grandes apostas. Afinal, os estudantes estão de férias, e vão muito ao cinema. Entretanto, esse ano a estratégia não deu muito certo nos Estados Unidos. Porque poucos foram os filmes que realmente fizeram sucesso, como Mulher Maravilha, por exemplo. Tanto que o resultado das bilheterias do ano está quase 6% abaixo quando comparado com a mesma época em 2016. Se a comparação for com o período do verão especialmente, a coisa fica ainda pior: 14 %. Para se ter uma ideia melhor, o resultado do último final de semana no total das bilheterias nos Estados Unidos foi o pior em mais de uma década.

Muitas produções caríssimas acabaram rendendo muito abaixo do esperado, o que representou uma grande contribuição para esse resultado negativos. Entre eles estão Rei Arthur: A lenda da Espada, A Múmia, Transformers: O Último Cavaleiro, O Planeta dos Macacos: A Guerra, Valerian e a Cidade dos Mil Planetas e A Torre Negra, que foram muito mal. Os grandes astros também não conseguiram garantir retorno de investimento. Foi o caso de Tom Cruise (A Múmia), Dwayne Johnson (Baywatch), Scarlett Johansson (Rough Night) e até mesmo o ator mais bem pago da atualidade, segundo a Forbes, Mark Wahlberg. Ele que vinha de dois fracassos anteriores, Horizonte Profundo: Desastre no Golfo e O Dia do Atentado (ambos bons filmes, mas que não funcionaram), não ajudou Transformers nos cinemas americanos.

Em contrapartida, os filmes de super-heróis continuam a dar certo, muito certo. Mulher Maravilha foi o grande triunfo – bem, já não era sem tempo, não?. O filme tem a segunda melhor bilheteria do ano nos Estados Unidos, atrás somente de A Bela e a Fera. Mas também teve Guardiões da galáxia 2 e o reboot do Homem-Aranha, com De volta ao Lar. Outras boas surpresas:  o épico de guerra Dunkirk, o divertido Em Ritmo de Fuga, Atômica, que estreou essa semana no Brasil, assim como Dupla Explosiva, que está há dois fins de semana em primeiro lugar nas bilheterias americanas.

Entre as animações, Meu Malvado Favorito 3 arrasou e está perto de atingir 1 bilhão de dólares no mundo. Mas Carros 3, apesar de seus quase 150 milhões nas bilheterias americanas, foi considerado um fracasso. Esse é o mesmo caso de Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar, que com pouco mais de 170 milhões nos Estados Unidos, foi “salvo” pelas bilheterias internacionais, somando mais 614 milhões ao resultado final.

E falando em bilheterias internacionais, os números são melhores. Até 27 de agosto, as bilheterias do mercado internacional estavam 2,8 % acima quando comparadas com igual período do ano passado. É claro que muito disso tem a ver com os resultados da China, que tem “salvado” muitos filmes, mesmo que os exibidores chineses só repassem 25% das bilheterias para os estúdios de Hollywood. E além disso, somente 34 filmes estrangeiros – o que engloba todos os países - podem ser exibidos por lá durante o período de um ano. É... esse será um ano difícil para os executivos de Hollywood!

Eliane Munhoz

Deixe seu comentário: