Um caso clássico do apelo à memória afetiva

gilmore girls

A memória afetiva é um fator que cada vez mais tem sido levado em conta por aqueles que aprovam as produções tanto para o cinema quanto para a TV. Por esse motivo, existe hoje essa avalanche de refilmagens, reboots, sequências, inspirações nas duas mídias. Alguns podem dar muito certo (a série Fuller House na Netflix e Mogli- O Menino Lobo nos cinemas) enquanto outros dão muito errado (alguém lembra da nova série Charlie’s Angels, que durou somente oito episódios? E o resultado desastroso da sequência de Independence Day?).

De qualquer maneira, a tendência já está traçada especialmente para esta temporada de séries. Depois da estreia de The Exorcist e Frequency, vem por aí uma nova 24 Horas – sem Kiefer Sutherland, novos episódios de Arrested Development, Dirty Dancing que vai virar um filme de três horas com Abigail Breslin como Baby, Atração Mortal e vários outros que ainda estão em fase de desenvolvimento.  E, é claro, hoje (25) chega à Netflix, a nova fase de Gilmore Girls.

Para quem não se lembra, foi uma série exibida na TV aberta como Tal Mãe, Tal Filha, que estreou a última de suas sete temporadas em 2006. Conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua filha Lorelai "Rory" Leigh Gilmore (Alexis Bledel) que vivem no pequena Stars Hollow, em Connecticut, um lugar com personagens bem peculiares. É uma daquelas séries pela qual os fãs têm um carinho tremendo, e, portanto, há anos pedem pelas redes sociais um retorno de seus personagens tão queridos.

Antenada com isso, a Netflix resolveu produzir quatro episódios de aproximadamente 90 minutos sobre como estão Lorelei, Rory e todos os habitantes de Star Hollows, com o título de Gilmore Girls: Um Ano para Recordar. Cada episódio se passa numa época do ano diferente, e está tudo lá, desde o pitoresco restaurante de esquina, a pousada Dragonfly Inn e, é claro, os rápidos e afiados diálogos entre mãe e filha dessa incomparável história de amor.

Todos os personagens importantes da série estarão de volta. Além de Lauren Graham (Lorelai), Alexis Bledel (Rory), Scott Patterson (Luke) e Kelly Bishop (Emily), também voltam outros atores, que hoje estão famosos com outras séries como os pretendentes de Rory, Jared Padalecki (Dean) de Supernatural, Milo Ventimiglia (Jess), que depois de Heroes tem um novo sucesso na TV americana chamado This is Us, e Matt Czuchry (Logan), de The Good Wife. Lisa Weil de How to Get Away with Murder também retorna como Paris, e até Melissa McCarthy, depois de muito suspense, abriu um espaço em sua agenda de superproduções para o cinema para participar como Sookie. Infelizmente, Edward Herrmann, que fazia o divertido patriarca Richard Gilmore, faleceu em 2014.

O problema é que com toda essa expectativa, será que os fãs ficarão satisfeitos com a experiência? Amy Sherman-Palladino, criadora da série disse numa entrevista à Vanity Fair, que “teremos algumas resoluções, mas a vida segue. Mas nunca terei um final definitivo em nada do que eu vier a escrever na vida, seja Gilmore Girls ou qualquer outro projeto, porque a vida é...complicada”

Para quem desejar conhecer a série antes de ver os novos episódios, a Netflix tem também todas as temporadas disponíveis. Ou se preferir, você pode conhecer sete temporadas em alguns minutos.  Também é bom para refrescar a memória! Rs!

Deixe seu comentário: