Mulher mostra, através do seu dia a dia, o quanto o assédio ocorre de forma global

dear catcallers menor

Ser importunada pelos insistentes “bom dias”,  “oi, linda” ou falas que interrompiam os caminhos da estudante Noa Jansma, de 20 anos de idade, a levou a tomar uma atitude. Para chamar atenção acerca da objetificação que as mulheres passam diariamente e que muitas pessoas não tem noção da recorrencia, durante um mês ela tirou selfies com os assediadores logo após suas investidas. As imagens, reais e perturbadoras mostram como essas experiências são na visão de quem sofre com elas.

#dearcatcallers "meisjeeeeee!" *gefluit* / Girlllllllll! *whistling*

Uma publicação compartilhada por dearcatcallers (@dearcatcallers) em

De acordo com Jansma: “Já que muitas pessoas não sabem o quão recorrente e qual o contexto os assedios diários acontecem eu decidi mostrar minhas experiências com os assediadores durante um mês. Tirando um selfie com ele, ambos, o objetificador e objeto, estão reunidos em uma composição. Eu, o objeto, parado em frente ao objetificador revertendo [a sensação de] poder que este projeto causa”.

#dearcatcallers "Hey meisje, waar ga je naartoe?" ~"naar huis" ~ "Mogen we mee? Waar woon je? Denk dat wij wel leuke dingen samen kunnen doen"

Uma publicação compartilhada por dearcatcallers (@dearcatcallers) em

Noa também criou uma hashtag para que mulheres mandem seus registros de onde estiverem e assim façam parte do movimento. Após 30 dias de registros próprios ela relatou passar a conta para frente para que outras mulheres mandem seus registros e mostrem o quanto a atitude ocorre de forma global.

#dearcatcallers "baby! Baby! *whisting*"

Uma publicação compartilhada por dearcatcallers (@dearcatcallers) em

A partir de 1º de janeiro de 2018, a atitude  será punida por lei na Holanda e os infratores estarão sujeitos a multas de até 190 euros (US $ 220). Quem sabe se espalharmos esta notícia, outros países também optem por lidar dessa forma também. Estamos na torcida.

 

 

Deixe seu comentário: