Mark Zuckerberg se posiciona após vazamento de dados

asa

Por meio de "inofensivos" testes virtuais a Cambridge Analytica furtou dados de 50 milhões de usuários do Facebook para fins políticos durante a eleição de Donald Trump. Deixado em segredo há alguns anos, o caso veio à tona e arranhou a imagem da plataforma. Em poucos dias seu valor caiu 60 bilhões, as ações despencaram e a companhia de Mark Zuckerberg se encontra em uma crise sem precedentes.

Pressionado, o discreto Zuckerberg roda as TVs americanas para explicar o que aconteceu e tentar melhorar a imagem de sua marca. Em um discurso que se pauta por lamentar o ocorrido, o CEO procura formas para que a sua rede social seja um lugar segura para a comunidade.

Em uma postagem no seu perfil oficial, o bilionário disse que eles têm “de proteger seus dados e, se não pudermos, não mereceremos atendê-lo. Eu tenho trabalhado para entender exatamente o que aconteceu e como garantir que isso não aconteça novamente”.

Confira abaixo a publicação completa:

Além disso, a própria companhia fez um extenso comunicado em que ela diz que “Proteger as informações das pessoas é a coisa mais importante que fazemos no Facebook. O que aconteceu com a Cambridge Analytica foi uma violação à confiança depositada pelo Facebook. Mais importante ainda, isso foi uma violação à confiança que as pessoas têm no Facebook em proteger seus dados quando eles são compartilhados.”

Para ter acesso ao conteúdo na íntegra clique aqui.  

Deixe seu comentário: