Mutato cria campanha para combater o ódio na internet

chama

A SaferNet, o Google.org e o UNICEF Brasil lançaram, na última semana, o SaferLab, laboratório de ideias para apoiar projetos de conteúdo relacionados a Direitos Humanos na web. Na prática, o projeto inclui formação, mentorias e bolsas para dar recursos para que adolescentes e jovens possam criar contra-narrativas para o discurso de ódio na internet.

O foco do SaferLab são pessoas entre 16 a 24 anos, de todo o Brasil, que pertencem aos grupos que costumam ser alvos mais frequentes de discurso de ódio: mulheres, LGBTs e negros. As inscrições serão abertas no dia 23 de janeiro e os interessados devem participar em grupo. A seleção levará em conta a afinidade do grupo com o tema, experiência, criatividade e vontade de trabalhar com conteúdo on-line.

Para promover a iniciativa, a Mutato criou a campanha #chamapraconversa, que reuniu quatro youtubers de diferentes segmentos e tem por objetivo estimular a reflexão crítica sobre comentários e comportamentos do cotidiano online. Um de seus motes, "o diferente é parecido com você", busca criar uma zona comum de identificação e incentivar a escuta sensível - celebrando e respeitando as diferenças. 

O projeto tem três fases: webinars (formação online), imersões (curso intensivo de um final de semana) e mentorias (suporte e supervisão de especialistas). No programa, estão questões como direitos humanos, liberdade de expressão e estratégias de comunicação on-line. No final, os melhores projetos serão contemplados com dez bolsas entre R$ 1,5 mil e R$ 12 mil para que sejam colocados em prática.

Deixe seu comentário: