Para acabar com o machismo no "Feminipsum" nenhum caractere é desperdiçado

femin ipsum

Na área de design gráfico e editoração, Lorem ipsum é aquele texto que preenche espaços em publicações e mostra como ficará o lay-out, tipografia e formatação sem a necessidade do conteúdo real estar pronto. Por este motivo, quando encontrado em algum lugar, ninguém dá muita atenção a ele. Pensando por este lado, é basicamente o que acontece com muitas atitudes machistas recorrentes na nossa sociedade.

E já que o assunto é desigualdade, sabia que apenas 20% da parte de criação nas empresas é ocupada por mulheres? É aqui que nossos três assuntos: machismo, Lorem Ipsum e criação se encontram. As criativas Luiza Lopes (assistente de arte) e Vitória Ferrari (assistente de redação) do escritório de Porto Alegre da J. Walter Thompson Brasil lançaram o “Feminipsum”. A ação, é na verdade, parte do projeto Domina que, para combater comportamentos ofensivos, recriou uma versão do texto tradicional para chamar atenção aos comportamentos machistas que, assim como a composição original, “você não presta atenção, só sai reproduzindo por aí”, principalmente em um ambiente representado 80% pelo sexo masculino.

Nessa perspectiva, dá pra entender o quanto a criação era pra ser um ambiente alegre e diverso. E também dá pra entender quem diz que, na realidade, o ambiente é dessa forma. Como muito bem pontuado no hotsite criado para a campanha, “não dá pra esperar que homens, na sua maioria brancos, heterossexuais, viajados e com padrão elevado de renda entendam que é um lugar bem mais hostil e opressor do que parece”.

Este cenário acaba afastando as mulheres que muitas desistem da criação. E não pense que esse é um ato covarde. Afinal, “tem que ter muita coragem pra desistir da sua carreira e sonhos por um pouco de amor próprio”, não é mesmo?

Sobre o início de tudo, Vitória esclarece: “A ideia surgiu no momento que percebemos que os criativos sempre marcam seus layouts com um texto em latim que ninguém presta atenção. Aí pensamos: por que não fazer um site de Lorem Ipsum que fale sobre algo realmente importante, como o machismo na propaganda?”. 

A tipógrafa Camila Saito, que já participa de projetos de empoderamento feminino, contribuiu com o type do site. “No Brasil as mulheres têm 85% do poder de compra, mas 65% delas não se sentem representadas pela publicidade. Claro, a criação das agências de publicidade é predominantemente masculina. Por isso, o Domina surgiu. Queremos futuramente criar outras ações focadas na falta de mulheres na criação para que também haja mais representatividade,” completou Luiza.

As provocações no site não terminam por aí. O texto também aborda a cultura de tempo no trabalho, que, por valorizar quem mais fica no escritório, aumenta a desigualdade entre os sexos, já que os cuidados domésticos tendem a ser uma responsabilidade culturalmente relativa às mulheres: “Sem falar nessa cultura absurda de que quanto mais a pessoa trabalha, mais valorizada é. Em meio a uma sociedade machista e patriarcal, conciliar essa vida de agência com a rotina da casa e a maternidade não é nada fácil”.

Para fechar, uma pontuação final: “respeito e feminismo não são assuntos só pra cases. Tá na hora de repensar suas atitudes. Mudar velhos hábitos não é difícil. Você, por exemplo, acabou de mudar um: leu um Lorem Ipsum pela primeira vez”.

O que achou da ideia? Deixa um comentário contando para a gente!

 

Deixe seu comentário: