Zuckerberg se desculpa por vazamento diante do senado americano

fds

O presidente e fundador do Facebook Mark Zuckeberg foi convocado pela comissão britânica nesta terça-feira (10) para falar diante do senado dos Estados Unidos a respeito das informações vazadas de alguns usuários. A divulgação dos dados foi feita pela empresa Cambridge Analytica, que realiza a consultoria das informações e cria comunicação estratégica para direcionar propagandas de marcas ou campanhas. O fato ocorreu sem consentimento dos usuários e favoreceu a queda das ações da empresa. 

De acordo com investigações do “New York Times” e “Observer”, a Cambridge usou dados de mais de um milhão de usuários. As informações foram adquiridas  por meio de um programa para prever e influenciar o voto dos eleitores. O ex-funcionário da Cambridge Analytica, Christopher Wylie, revelou todo o esquema da antiga empresa que também forneceu serviços para a campanha presidencial de Donald Trump.

O ocorrido é um dos maiores vazamentos de dados da história do Facebook. Legisladores britânicos e americanos pediram explicações à companhia. Evitando perguntas, as respostas de Mark declararam que o Facebook está “revê pecados e está ciente de sua responsabilidade”. Há um plano concreto para melhorar a privacidade de informações dos usuários.

Mark, que defende a sua criação, assumiu responsabilidade pelo ocorrido e promete dobrar a equipe de segurança e de moderação de conteúdo, pois proteger a comunidade é mais importante que os lucros.

A rede afirma que não faz venda de dados e só há permissão para desenvolvedores de aplicativos, que eventualmente podem coletar dados de usuários também. Zuckeberg publicou suas desculpas e listas de correções com o intuito de passar mais segurança para seus clientes e evitar futuros problemas.

Deixe seu comentário: