"Efeito Nego do Borel": Old Spice também lança filmes "descontruídões"

asd

Nos últimos tempos, temos vistos personalidades e marcas que querem ser parte de lutas representativas. Se o trabalho é bem feito com uma comunicação coerente, a estratégia consegue tornar artistas como a Beyonce e marcas como a Avon, representantes de uma causa. Contudo, se falta autenticidade e o público vê oportunismo na ação, o posicionamento pode gerar arranhões na imagem.

Um dos recentes exemplos de que o público é cada vez mais crítico, foi a reação ao lançamento do último clipe do Nego do Borel. Compartilhado pelo Kondzilla, maior canal brasileiro no Youtube, o vídeo que apresenta o artista com roupas femininas gerou diversas respostas negativas.

Partidário assumido de Bolsonaro, o jovem carioca famoso pelos seus funks, corpo musculoso, jeito sem-noção e conquistas amorosas, foi alvo de diversas críticas por transmitir a impressão de que ele atuava naquele personagem “só para ganhar likes”.

Confira (e tire as próprias conclusões) do resultado final que em apenas dois dias já atingiu mais de 320 mil “dislikes”:

Efeito Nego do Borel no Old Spice

De maneira que carrega certa semelhança, a Old Spice, marca conhecida pelas suas publicidades com homens sem camisa em situações sem-sentido também entrou na onda e lançou uma série de anúncios que fogem de sua estética convencional.

Apoiados por pesquisas que mostram que quem compra os desodorantes dos “cabras machos”, no final, são as mulheres, a empresa de higiene americana altera a sua comunicação. Com filmes audiovisualmente mais refinados do que o padrão da companhia, a nova campanha criada pela Wieden + Kennedy de Portland lança uma série feita para transformar as vozes colhidas no “social listening” em engajamento.

Seguem abaixo os últimos conteúdos da empresa embasada por Terry Crews:

Se você concorda ou discorda com o ponto de vista, comente com a gente nos comentários:

Deixe seu comentário: