Espelho enorme em São Paulo mostra pessoas condenadas pela corrupção

estadão

Você já se perguntou se uma pessoa que morre sem os devidos cuidados no corredor de um hospital público é condenada pela corrupção? E as pessoas que esticam o orçamento para poder pagar por um seguro saúde privado devido à incompetência do sistema de saúde pública? E uma família que não pode colocar o filho em uma creche? Alguém desempregado? Um empresário forçado a fechar seu negócio devido a uma crise causada pela pouca confiança?

Sim, todos eles são condenados pela corrupção. Independente da história de cada cidadão brasileiro, nós temos 217 milhões de vítimas em um país onde poucos estão na prisão pagando pelo crime de embolsar recursos públicos.

Para chamar atenção sobre o tópico, a agência de publicidade Momentum criou uma campanha para o jornal Estadão. Um espelho enorme montado de 2 a 8 de abril na Praça da Sé convida o público a reconhecer a si mesmo como "condenado" pela corrupção. A ideia é que, ao ver sua imagem, o povo perceba que sofre as consequências do desvio das verbas do governo.

A campanha vai ainda mais longe. Além de colocar a questão em discussão, apresenta a possibilidade de uma mudança real com o hashtag #voteinteligente. Com este lema, a campanha incentiva as pessoas a obterem mais informações antes de escolher o melhor candidato para os postos do governo disponíveis nas eleições de outubro.

Para Flávio Pestana, diretor-executivo e comercial do Estadão: "Este é um momento crucial para o Brasil. Todos os dias, o Estadão apresenta a situação triste em que o país se encontra, com notícias de apropriação indevida em esquemas de corrupção e o povo sofrendo com a falta de verbas para saúde, educação, segurança e outras áreas vitais para nossas vidas. Com esta iniciativa, queremos oferecer uma colaboração que vai além da denúncia e convidamos o povo a pensar e exigir mudanças", disse.

Já para Maria Laura Nicotero, CEO da Momentum: "Ver a si mesmo como um dos muitos afetados pelo problema é essencial para mudarmos este cenário. A ação foi criada para incentivar uma mudança que possa se materializar nas próximas eleições. Aproveitamos a oportunidade para destacar a importância do jornalismo de qualidade, porque sem ele não há direitos civis ou democracia. Isto deve estar muito claro em épocas como esta, com a crescente onda de desinformação e de notícias falsas", disse Maria Laura Nicotero, CEO da Momentum.

A campanha utilizará anúncios, perfis de mídia social do Estadão e uma ação concentrada em um grupo de influenciadores que receberam uma edição do Estadão com uma capa laminada, fazendo alusão a um espelho.

A ação coincide com uma época de forte apoio popular às investigações de corrupção. Mais de 90% dos brasileiros querem que a operação Lava Jato, a maior investigação de corrupção da história, continue até o fim, custe o que custar, de acordo com uma pesquisa realizada pela Ipsos em março*.

* Os dados são parte do estudo mensal da Pulso Brasil realizado pela Ipsos Public Affairs. A Ipsos entrevistou presencialmente 1.200 pessoas em 72 cidades do Brasil de 1º a 13 de março de 2018. A margem de erro do levantamento é de 3 pontos percentuais.

Informações técnicas:

Cliente

O Estado de São Paulo

Agência

Momentum

CEO

Maria Laura Nicotero

Atendimento ao cliente

Gabriel Vallejo

Rafael Mattos

Planejamento

Rodrigo Coelho

Produção gráfica 

Quirino Nogueira

Produção

Danielle Ferreira

Ariane Torres

Marcos Lessi

Diretor de criação

Fernanda Chaccur

Diretor de arte 

Diogo Ornaghi

Escritor

Manoel Pires

Cenografia 

Jam Cenografia

Produtor de audiovisual

Boogie Man

Produtor digital

Reprise

Assessoria de imprensa

GIUSTI

Aprovação – Cliente

Flávio Pestana
Marcelo Moraes
Larissa Martinelli

Deixe seu comentário: