O legado de Altino de Barros para a mídia no Brasil

Olivetto e Altino de Barros
Olivetto e Altino de Barros

Se a história dos profissionais de mídia no Brasil pudesse ser personificada em apenas um ser, o seu nome serio Altino de Barros, que faleceu na madrugada deste domingo (18), aos 91 anos. Carioca, nascido em 1926, o publicitário fez toda a sua carreira na McCann, onde começou aos 18 anos, trabalhando como office-boy.

Depois de migrar para a mídia e se formar em ciências econômicas pela Universidade do Estado da Guanabara, Altino mudou-se para a Matriz da McCann, em São Paulo, aonde após alguns anos chegou ao cargo de VP executivo. Até 2013, ele ainda dava expediente quase que diariamente em sua sala no segundo andar da sede da paulistana da agência.

Precursor em diversas técnicas, táticas e padrões da mídia brasileira, foi Altino de Barros, por exemplo, quem criou o Top de 5 segundos, antes dos programas televisivos. Na década de 70, foi ele também quem liderou um grupo de profissionais na criação do instituto Audi-TV, precursor do Ibope na aferição da audiência na televisão.

Entre outras tantas ideias utilizadas até os dias de hoje, foi Altino quem introduziu no Brasil a técnica do GRP (Gross Rating Points) ou Pontos de Audiência Bruta. Ele foi ainda o primeiro mídia a descobrir que os veículos concediam descontos, ajudou a criar o IVC e negociou e conviveu com os principais empresários da comunicação brasileira.

Em setembro de 2013, quando completou 69 de anos de carreira, Altino de Barros lançou o livro  “A Mídia no Brasil. Do Reclame à Era [email protected]”, escrito por ele próprio e publicado pela Editora Matrix. A obra, repleta de depoimentos de amigos, admiradores e familiares, retrata a história do profissional.

Homenagem

Para celebrar sua trajetória seus 90 anos, a WMcCann criou um anúncio especial para o profissional. Uma homenagem que virou quadro e foi entregue ao aniversariante.

Confira o texto da peça:

O joão-de-barro é um pássaro muito respeitado. Também é uma questão de postura, não é? Caseiro, trabalhador incansável, enquanto as outras aves fazem simples ninhos, ele constrói casas muito bem planejadas e de alvenaria. E como é orgulhoso. Feliz da vida, o joão-de-barro pode ser visto em frente à sua mansão com o peito estufado, o olhar calmo, característico de quem conquista o seu lugar.

Quando não está voando, o joão-de-barro anda bem devagar, um caminhar pausado, sábio, de quem adquiriu cada centímetro de conhecimento que a vida lhe proporcionou.

O joão-de-barro é um cara de quem a gente compraria uma casa tranquilamente. Um senhor com quem dá vontade de tomar um café ou um trago depois do trabalho, para dividir umas histórias.

É de respeito mesmo. Ele é monogâmico por natureza e por índole. Estabelece vínculos, marca presença e se torna absolutamente necessário.

O joão-de-barro escolhe muito bem o terreno da sua casa. Ele tem bom olho. Ele sabe que uma casa deve conter uma história e deve ser forte o bastante para aguentar tanto festas animadas como o mau humor do tempo.

Por isso, a gente não vê muitos desses pássaros por aí. Eles moram bem. Em árvores frondosas, em varandas na sede da fazenda e, às vezes, eles fazem a sua morada num sobrenome.

Obrigado, Altino João de Barros, criador do Top de 5 segundos da Rede Globo, que implementou o modelo de agência integrada, que ajudou a construir e reconstruir a mídia no Brasil, por fazer da WMcCann a sua casa desde 1944.

Confira o anúncio (clique aqui).

Deixe seu comentário: