Público vê TV em mais plataformas e por mais 1 hora nos últimos 10 anos

z\

Presente em praticamente todos os lares do país, a TV tem espaço garantido no cotidiano da população. O mundo mudou, a tecnologia evoluiu e a televisão se fortaleceu: na última década, o tempo médio que o telespectador dedicou ao consumo do meio aumentou em mais de 1 hora. Em 2007, eles passavam, em média, 5 horas e 11 minutos assistindo TV por dia. Em 2016, foram 6 horas e 17 minutos dedicados a telinha, segundo Kantar IBOPE Media.

A TV assistida atualmente já não é a mesma. De analógica para digital, de aparelho convencional para multitelas: a televisão saiu da sala de casa e já pode ser assistida em qualquer local e a qualquer horário. O meio evolui junto com o seu público e disponibiliza seu conteúdo nas mais diversas plataformas e dispositivos.

De acordo com o Target Group Index, o vídeo sob demanda já é usado por 20% dos brasileiros, 9 vezes mais do que esse número representava em 2013. Essa nova maneira de consumir vídeo complementa o alcance da televisão linear: a pesquisa aponta que 48% dos telespectadores brasileiros têm o hábito de se programar para assistir conteúdos de TV, demonstrando que o consumo de acordo com a grade televisiva das emissoras e o consumo não linear coexistem. Os dispositivos e plataformas se complementam para tornar a experiência do telespectador a melhor possível, no momento e no lugar em que ela se encontra.

A relevância da televisão nos lares brasileiros é refletida também no mercado publicitário, onde o meio ocupa um espaço importante na estratégia de comunicação de diversas marcas. O Target Group Index aponta que a TV é referência para os telespectadores brasileiros: 53% dizem confiar na televisão para se manter informado, e 44% elegem o meio como principal fonte de entretenimento.

A chamada do jornal, o último capítulo da novela, a estreia do reality show e mesmo o comercial se tornam temas na roda de amigos: 54% telespectadores declararam que a propaganda na televisão é interessante e proporciona assuntos para conversar.

Deixe seu comentário: