7 tecnologias que devem reger a CES 2018

ces
Estande da LG na CES 2017.

A cada ano que passa as tecnologias se superam. Essa evolução, que não acontece de forma gradual, é facilmente vista na CES (Consumer Electronics Show), que abre 2018 com as primeiras revelações oficiais de produtos no domingo, 7 de janeiro.

Primeiro, prepare-se: a CES é uma explosão maciça de lançamentos de tecnologia, mas nem tudo é permanente e se consolida no mercado. É na CES  que cada tecnologia de consumo de nicho chega a ter seus “15 minutos de fama” para o ano. No evento você poderá encontrar os líderes em praticamente todas as principais categorias de tecnologia em vigor.

Além disso, algumas indústrias, como a automotiva, são atraídas pela CES porque assim elas podem sair de suas próprias rotinas e se declararem empresas de tecnologia. Os players tradicionais, como os fabricantes de TV, por exemplo, têm mais dificuldade em se destacar, mas quando alcançam este objetivo podem aproveitá-lo durante o ano. E para tecnologias emergentes como o 5G ou realidade aumentada, simplesmente não há plataforma maior.

Aqui está um roteiro das maiores tendências tecnológicas que você pode esperar no evento:

  1. A revolução 5G começa

Parece estranho colocar o 5G encabeçando a lista, uma vez que praticamente nenhum consumidor realmente se beneficiará com isso em 2018. Mas ele vai nortear muita conversas que podem afetar todos ou outros itens da lista, e é provável que a CES 2018 seja lembrada por isso. E para ser justo, o 5G começará a ficar um pouco mais próximo do público este ano, já que as operadoras de telefonia móvel realizam testes da tecnologia de rede com ultra velocidade e querem que isso seja vitrine nas Olimpíadas de 2018 em PyeongChang, Coréia do Sul.

  1. Carros com “Self Driving” focarão nos passageiros

Não é novidade, mas o futuro dos carros é “self drived”. Com isso em mente, as montadoras sabem que a tecnologia sem motorista não indica que o fim está próximo para elas; na verdade agora a corrida é para mostrar as visões mais inovadoras e práticas de interiores de carros e sistemas de infotainment (aquela usada quando aplicativos do telefone são “espelhados” na tela da central multimídia do carro). Mercedes-Benz, Toyota, Ford e outros mostrarão suas ideias a esse respeito, enquanto outros, como Rinspeed, procuram fazer um nome para si mesmos, reimaginando o que é mesmo um carro quando é basicamente um transporte sem motorista.

A outra grande tecnologia que conduz as inovações de veículos é o combustível alternativo, mas nos últimos dois anos o mercado tem sido bem confuso a esse respeito. Enquanto o Chevy Bolt, que estreou na CES 2016, foi considerado um sucesso, os desvios surpreendentes do Faraday Future nos últimos dois anos não salvaram a empresa de uma espiral da morte ainda em andamento. Fisker, uma marca que está planejando seu próprio retorno na CES 2018 com seu carro de luxo EMotion, terá seu trabalho direcionado para isso.

  1. A guerra de smart TV que nunca existiu

Na CES de 2017, os fabricantes estavam tropeçando em si mesmos para mostrar dispositivos domésticos inteligentes (ou "dispositivos IoT") que funcionam com o Alexa, assistente digital da Amazon. Já o Google Home era ainda muito novo. Um ano depois, e com uma nova geração de produtos em ambos os lados, o duelo Alexa vs. Google Home será a guerra inicial inteligente do evento de 2018.. Ainda assim, os dispositivos devem andar juntos. Isso porque em sua maior parte, os fabricantes terceirizados de frigoríficos inteligentes, alto-falantes e câmeras de segurança seguirão o comando de empresas como Sonos (empresa norte-americana de equipamentos eletrônicos) e criarão compatibilidade para ambos os assistentes em seus produtos.

A Apple e a sua plataforma HomeKit não estarão totalmente ausentes da CES, mas, como no ano passado, será principalmente um observador, já que o produto que realmente irá desencadear a presença da Apple neste espaço, o HomePod, ainda não foi criado.

De mãos dadas com a integração com assistentes digitais, os dispositivos domésticos inteligentes tendem para o AI mais pessoal, alavancando a visão de computador para cria experiências mais amigáveis ​​como a Jibo (primeiro robô de mesa projetado de acordo com os parâmetros da robótica social). Isso significa uma geração nova e melhorada de robôs pessoais, embora não se espere nada de revolucionário.

  1. Sacode na saúde digital

O ano passado não foi gentil com os wearables. O Jawbone está pronto, o Fitbit respira com ajuda de aparelhos, e parece que todo mundo se rende (ou, pelo menos, concorda) com a Apple.

Isso não significa que a saúde digital e a malhação desaparecerão – elas vivem apenas um período de mudança. As pulseiras Faddish e os rastreadores de "track" estão “fora”. Estão “dentro” dispositivos e app de cuidados de saúde mais relevantes. As tecnologias de saúde digitais que chamarão mais atenção na CES serão relativas à entrega de telemedicina por meio da realidade aumentada e aparelhos auditivos conectados à nuvem. O caminho: possibilitar conexões em tempo real entre profissionais médicos e pacientes para necessidades de saúde específicas.

  1. Na espreita do futuro da TV: MicroLED, 8K

Em muitos aspectos, na CES ainda é “sobre TVs”, e enquanto as mudanças são sutis e incrementais, ao longo do tempo elas fazem uma grande diferença: há 10 anos atrás, os OLEDs eram novos; agora fabricantes como Samsung e LG não conseguem parar de falar sobre eles.

Embora haja muitos painéis OLED na CES 2018, há uma nova tecnologia de exibição chamada MicroLED. Os atributos técnicos são muito semelhantes ao OLED, exceto que substitui o "O", que significa "orgânico", por uma substância inorgânica, e os subpixels (os que criam a luz vermelha, verde ou azul) são muito pequenos.

Os MicroLEDs supostamente têm muitas vantagens sobre os OLEDs, com melhor contraste, brilho e eficiência energética, além de uma melhor resistência à queima - uma das principais queixas sobre a tela OLED no Google Pixel 2 XL. A Sony mostrou exibições da MicroLED antes, e a Samsung está planejando revelar uma enorme TV MicroLED de 150 polegadas na CES. Pode haver outros.

E com o 4K, agora essencialmente mainstream, o mundo da TV está olhando para o próximo nível: 8K. Ainda é extremamente cedo para 8K - o que se traduz em 7.680 × 4.320 ou em cerca de 33 milhões de pixels -, mas a CES 2018 pode nos mostrar as primeiras exibições ao consumidor com uma resolução de 8K, e a LG está preparada para fazê-lo. Infelizmente, não existe praticamente nenhum conteúdo de 8K para jogar nela.

  1. A realidade aumentada realmente acontece

A mensagem de 2017 não pôde ser mais clara: a batalha pelas realidades aumentou o ritmo virtual. O ARKit da Apple ajudou a empurrar a tecnologia para o mainstream, e agora cada produto que envolve uma câmera ou uma tela está apressado em se tornar uma parte da tendência.

Na CES, a maior parte disso se manifestará sob a forma de dispositivos únicos ou serviços que permitem ao usuário "tentar" ter um produto (como uma mochila ou peça de mobiliário), sem realmente e fisicamente possuí-lo. Talvez mais interessante seja uma nova geração de óculos de realidade aumentada. No entanto, eles não serão dispositivos de mercado de massa. Em vez disso, os óculos inteligentes dos dias atuais serão específicos para tarefas especializadas, como controle de drones ou aplicativos comerciais.

  1. Todo mundo estraga fones de ouvido sem fio

Agora que o Apple AirPods tornou-se um sucesso inquestionável, cada fabricante de fone de ouvido quer ser "verdadeiramente sem fio". Considerando que o ano passado foi o grande ano de destaque para esses itens, 2018 deve ser de queda em commodities, com pares que variam de forma descontrolada em qualidade, custo e finalidade.

Alguns serão genuinamente excelentes, enquanto outros "hearables" - fones de ouvido com sensores extras para controlar a freqüência cardíaca, por exemplo – são mais como soluções caras que procuram um problema. Independentemente disso, os imitadores da AirPod estarão em todos os lugares da CES 2018.

As informações são do Mashable.

Deixe seu comentário: