APRO quer abolir prática do BV de produção do mercado

Com o discurso de trabalhar em busca da manutenção de boas práticas no mercado audiovisual, a associação lança seu novo Código de Conduta, composto por um conjunto de regras de compliance, que a partir de agora serão aplicadas a todos os membros da entidade.  O documento, que foi aprovado pelos associados presentes em Assembleia Geral, realizada no início deste mês de março, traz normas mais rígidas, que incluem uma atuação mais contundente contra produtoras que pratiquem a política de pagamento do BV de produção. A partir de agora, todas as associadas terão de abolir essa prática, sob pena de passarem por um processo de sindicância e serem excluídas da entidade. No total, 81 produtoras optaram por permanecer na APRO e cumprir o novo código.

Novo conselho consultivo

Além disso, a APRO também acaba de fazer mudanças na estrutura de seu conselho consultivo. Foram abolidas as vice-presidências temáticas e, em seu lugar, empossado um novo conselho, formado por 15 titulares e 15 suplentes. O novo conselho é formado por Paulo Schmidt (Academia de Filmes), Eduardo Tibiriçá (Bossa Nova), Carlos Righi (Cia de Cinema), Raul Dória (Cine Cinematográfica), Renata Brandão (Conspiração Filmes), Mário Peixoto (Delicatessen/Your Mama), Leyla Fernandes (Honey Bunny), Alex Mehedff (Hungry Man), Julia Tavares (Killers), João Daniel Tikhomiroff (Mixer), Rejane Back Bicca (O2 Filmes), Egisto Betti (Paranoid), Francesco Civita (Prodigo Filmes), Marcelo Altschuler (Saigon) e Sergio Salles (Vetor Zero). Já os suplentes são, respectivamente: Taís Caetano (Academia de Filmes), Sandra Maria Othon Teixeira (Bossa Nova), Marcia Fabrício (Cia de Cinema), Claudia Gutierrez Caldeira (Cine Cinematográfica), Fábio Brandão (Conspiração Filmes),  Breno Castro (Honey Bunny), Renata Correa (Hungry Man), Norma dos Santos (Killers), Hugo Mattos Janeba (Mixer), Carlos Betti (O2 Filmes), José Renato Ordine (Paranoid), Chico Pedreira (Prodigo Filmes), Carol Pessini (Saigon), Alberto Lopes de Oliveira Júnior (Vetor Zero) e Mayra Auad (Your Mama).

Outra questão importante

Em meio a esse reposicionamento, a APRO também prepara o 4º Fórum de Produção, que está previsto para o segundo semestre deste ano. De acordo com a entidade, neste ano o evento trará um novo formato, abrindo espaço para palestras e mesas de trabalhos com temas mais abrangentes e pertinentes ao universo da produção audiovisual. Entre as pautas já selecionadas, está o debate sobre ajuste dos prazos de pagamento (especificamente para filmes publicitários). O tema há muito assombra o setor, já que nos últimos anos os mencionados prazos têm se tornado cada vez maiores e mais estendidos. Durante uma produção, as produtoras acabam atuando como organizadoras de processos, reunindo e coordenando profissionais e fornecedores e, consequentemente, tendo que lidar com uma grande quantidade de desembolsos imediatos. Por isso, negociar prazos mais ágeis com os contratantes é um ponto crucial para a saúde financeira das produtoras.

Redação Adnews

Deixe seu comentário: