Atenção para desigualdade salarial na campanha "Mulheres Forbes"

montagem mulheres fortes forbes

A nova campanha da Forbes Brasil, nomeada “Mulheres Forbes” e feita pela Ogilvy Brasil, criou três versões femininas de importantes personalidades do mundo dos negócios, para mostrar o quanto estes homens teriam ganhado a menos caso tivessem nascido mulher.  Billie Gates, Carla Slim e Marcia Zuckerberg fazem uma comparação com a posição de cada empresário e sua versão mulher, caso ela fosse real, na lista dos mais ricos.

Billie Gates, por exemplo, aparece na posição 4 da lista, chamando a atenção para o fato de que nos Estados Unidos Bill Gates teria ganhado 21% a menos caso fosse mulher. Bill Gates é o número 1 da lista da Forbes.

Outra personagem fictícia, criada pela campanha, é Carla Slim, uma alusão ao milionário mexicano Carlos Slim, número 6 da lista da Forbes. No México, Slim teria ganhado 17% a menos caso fosse mulher, passando assim para o posto de número 10 da lista. O terceiro personagem fictício é Marcia Zuckerberg – nos Estados Unidos o empresário Mark Zuckerberg teria ganhado aproximadamente 21% a menos se fosse mulher. Ou seja, não seria o número 5 da lista, mas sim a 11ª.

Ficha Técnica

Cliente: Forbes Brasil 
Agência: Ogilvy Brasil
Campanha: Mulheres Forbes
Título: Billie Gates / Carla Slim / Marcia Zuckerberg
Presidente Ogilvy Brasil: Fernando Musa
VP Nacional de Criação: Cláudio Lima
Diretor de Criação Executivo: Félix Del Valle
Diretor de Criação: Eduardo Doss
Diretor de Arte: João Alexandre
Redator: Guilherme Moreira / Phylippe Moura / Marcos Botelho
Atendimento: Juliana Fernandes
Executivo/Cliente: Antonio Camarotti 
Mídia: Renata Valio / Betânia Aragão
Artbuyer: Francini Santiago
Produtora: Notan 
Retoque: Notan

 

Deixe seu comentário: