Cambridge Analytica é suspensa do Facebook por violar políticas

analise de dados

O Facebook Inc suspendeu a consultoria da empresa Strategic Communication Laboratories (SCL), detentora da marca de análise política de dados Cambridge Analytica, depois de descobrir que ela violou as suas políticas internas.

A Cambridge Analytica forneceu detalhes sobre os eleitores americanos durante a campanha que elegeu Trump como presidente dos EUA nas eleições de 2016. As indicações são de que esses dados foram usados na criação de um software capaz de prever e influenciar a escolha dos eleitores. Aparentemente mais de 50 milhões de perfis de Facebook foram colhidos e usados ​​para construir o sistema.

Em declaração, a empresa de Zuckerberg anunciou que em 2015 o professor de psicologia da Universidade de Cambridge, Aleksandr Kogan, "mentiu para nós e violou nossas políticas de plataforma, passando dados de um aplicativo, que usava o Facebook Login, para a SCL/Cambridge Analytica, que faz trabalho político, governamental e militar em todo o mundo. Ele também passou esses dados para Christopher Wylie da Eunoia Technologies, Inc. " 

O deputado Damian Collins disse que chamaria a liderança de ambas as empresas, Alexander Nix e Mark Zuckerberg, para dar mais testemunhos. Os dois homens também podem enfrentar uma convocação de legisladores estadunidenses.

Adam Schiff, o principal democrata no comitê de inteligência da Câmara, pediu que Cambridge Analytica seja "investigada minuciosamente" e disse que o Facebook deve responder perguntas sobre como veio fornecer informações de usuários particulares a um acadêmico com ligações com a Rússia. 

A Cambridge Analytica, por sua vez, negou as alegações de que o Sr. Nix induziu em erro essa comissão.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a Cambridge Analytica se associou com a brasileira Ponte Estratégia com intuito de atuar nas eleições deste ano. Porém, após a ocorrência destes fatos, a empresa decidiu cancelar a parceria com a marca britânica.  

Deixe seu comentário: