Empresa por trás de "Fearless Girl" vai pagar multa por discriminação

fearless

Estamos em uma era da comunicação em que o público não admite mais que o discurso das marcas esteja descolado de suas práticas. Mais do que isso, antes de cuidar da imagem que vão externar, as empresas precisam olhar para dentro de suas organizações e ver se realmente há um mindset em sinergia com as mensagens e valores que estão promovendo. Se no final de semana a Dove teve que pedir desculpas por um post que contraria tudo que suas últimas campanhas endossam, outra notícia reforça esse descompasso entre a propaganda e o mundo real para algumas empresas...

Sabe o maior case do ano, vencedor do Leão de Titanium no Cannes Lion 2017, a ação “Fearless Girl”? Para quem não se lembra, a campanha criada pela McCann de Nova York para a State Street Global Advisors colocou a estátua de uma jovem garota à frente do icônico touro de Wall Street, no distrito financeiro de Nova York - dominado por homens, um ato de homenagear ao Dia Internacional da Mulher. 

Então... Acontece que a empresa de investimentos que encomendou a estátua aceitou no final da semana passada pagar cinco milhões de dólares a mais de 300 funcionários (mulheres e negros) que receberam um salário inferior ao dos empregados homens brancos entre. O apontamento foi feito por meio de uma auditoria do Escritório Federal de Programas de Cumprimento de Contratos (FCCP). O período analisado sobre a disparidade dos pagamentos foi entre 2010 e 2011.

Apesar de negar as acusações, a companhia a State Street aceitou o acordo de pagamento. “A State Street está comprometida com práticas de igualdade salarial e avalia continuamente os processos internos para assegurar que nossos programas de compensação, contratação e promoção não são discriminatórios”, afirmou a companhia, em comunicado.

Deixe seu comentário: