Facebook busca startups de impacto social para programa de aceleração

facebook dados

O Facebook começa hoje o processo de seleção de startups de impacto social que abrigará gratuitamente na Estação Hack, seu primeiro centro para inovação no mundo, em São Paulo. Serão selecionadas até 10 startups de todo o país que usem dados intensivamente em suas soluções, e que tenham potencial de gerar transformações positivas à sociedade em larga escala. As startups selecionadas terão residência de seis meses na Estação Hack, com acesso à infraestrutura e ferramentas do Facebook. Também receberão mentoria de especialistas, apoio na formação do modelo de negócios e refinamento do impacto social com a metodologia Artemisia, organização sem fins lucrativos pioneira no fomento de negócios de impacto social no Brasil.

O projeto tem foco em negócios que já tenham protótipo em fase de testes de mercado, até startups com produtos já lançados que buscam rápido crescimento, e que apresentem soluções nos seguintes temas: empregabilidade, educação, segurança de dados, engajamento cívico, serviços financeiros (para inclusão ou educação financeira) e microempreendedorismo.

Eduardo Lopes, coordenador da Estação Hack abordou o movimento: “Sabemos que a tecnologia pode transformar a vida das pessoas, mas nem sempre elas têm as ferramentas que precisam para desenvolver suas soluções. É isso o que vamos oferecer aos brasileiros no programa de aceleração da Estação Hack”.

Segundo a diretora-executiva da Artemisia, Maure Pessanha, "na metodologia de aceleração da Artemisia, os selecionados serão desafiados a formatar seus modelos de negócio e refinar o próprio impacto social. O objetivo é desenvolver os empreendedores em nível pessoal e profissional, para alcançarem o maior potencial de impacto possível."

As inscrições para o programa de aceleração de startups da Estação Hack vão de 2 a 29 de outubro e podem ser feitas pelo site.

Deixe seu comentário: