Funcionários reivindicam pagamento em etiquetas Zara

zara abre

Parece que a rede de lojas espanhola Zara, uma das varejistas mais conhecidas ao redor do mundo, vai ter que explicar mais uma vez sobre os “recados” encontrados nas etiquetas de suas roupas. Clientes acharam em roupas de algumas unidades da marca em Istambul mensagens de protesto sobre as más condições de pagamento praticadas pela marca.

Os comunicados são diretos: "Eu fiz esse item, mas não fui pago por isso" e mostra um link para uma petição, pedindo que as pessoas pressionem as marcas para pagar seus salários, dizendo: "Queremos nossos direitos, não caridade".

As notas também indicam que os trabalhadores em questão estavam empregados na fábrica “Bravo Tekstil”, que teria fechado durante à noite, deixando os funcinários sem salários por vários meses. Não é a primeira vez que a gigante de departamento se vê envolta neste tipo de situação. Em 2011 aqui no Brasil, a Zara foi denunciada por trabalho escravo e em 2015 ela foi autuada por não comprir o acordo em acabar com o trabalho escravo.

Nas redes sociais a notícia se espalhou, confira os comentários: 

Acompanhe a hashtag clicando aqui

Deixe seu comentário: