Matheus Mazzafera conta sobre crescimento no Youtube

mazzafera de novo

Depois de ser anunciado como um dos integrantes do vespertino Vídeo Show, na Rede Globo, Matheus Mazzafera, natural de Minas Gerais, tem mais um motivo para celebrar sua fase profissional: o apresentador e repórter acaba de atingir a marca de 3 milhões de inscritos em seu canal no youtube.

Criado e desenvolvido por ele em 2016, o “Hottel Mazzafera” mostra com irreverência e personalidade entrevistas com celebridades, viagens e bate-papos relacionados à  temas variados.

Os vídeos do mineiro mostram o lado mais descontraído dos entrevistados. Já passaram pelo canal nomes como: Hailey Baldwin, Bella Hadid, Candice, Alessandra Ambrósio, Bruna Marquezine, Neymar, Juliana Paes, Marina Ruy Barbosa, Anitta, Cleo, entre outros.

Vale lembrar, também, que mensalmente o canal tem 40.000.000 de views e mais de 3,5 milhões de engajamento, o que o coloca no ranking como um dos maiores do Brasil.

Em entrevista ele conta um pouco sobre como fez seu projeto crescer e mostra sua visão a respeito de outras questões. Confira:

- Qual sua estratégia no plano de divulgação do canal?

Desde quando iniciei o canal eu sabia que o maior plano de divulgação seria ser espontâneo e verdadeiro. A audiência da internet está sempre mudando, querendo coisas novas, então sempre procurei inovar nos meus vídeos, sem perder a essência, e fazer conteúdo para todos os públicos. Assim o canal gira em todos os meios, chama atenção e gera audiência.

- Como você cria conteúdos que sejam relevantes e prendam o público?

No início do canal, queria entreter o público, fazer um conteúdo genuíno, divertido, que tivesse a ver comigo e com os convidados, de forma natural e inusitada, tratar de assuntos diversos e que gerem interesse. Agora que o canal está maior, quero também levar vidas de pessoas diferentes do “padrãozinho”. Mostrar diferentes realidades, trazer assuntos diversos que estejam em alta, e também aqueles que sempre permeiam as rodas de conversa. Penso em fazer sempre conteúdos diferentes e divertidos, que acompanhem a evolução do meio digital.

- Qual a melhor forma de engajar os seguidores?

Em primeiro lugar ser verdadeiro, o público não se engana, gerar e trazer assuntos que realmente interessem quem está assistindo. Vídeos que tragam quem assiste para dentro da conversa, como se fizessem parte. Falar “normal”, como falamos em casa, e mostrar que todos somos pessoas normais também, isso aproxima a celebridade do público.  

- Como é possível marcas unirem sua imagem com youtubers de modo autêntico?

Acredito que é muito importante para a marca entrar no universo do youtuber, e não propor ao youtuber para que ele faça uma propaganda da marca falando coisas que ele normalmente não fala. As celebridades digitais são autênticas, não são atores, não interpretam personagens. Quando falo de um produto, é da forma que eu me comunico com meu público. Mandar textos prontos, adjetivos complicados, palavras de efeito simplesmente não funcionam no universo digital. Eu sempre enfatizo que nos trabalhos com marcas eu dito o texto. Recebo um briefing, um direcional, mas a forma de comunicar é a minha.

- Quais os maiores erros de creators e empresas quando elas traçam parcerias comerciais?

Fazer parcerias com marcas que não fazem parte da sua vida. O maior erro é só pensar no dinheiro. Você ganha a curto prazo, mas perde muito a longo prazo. Fingir marcas que na verdade não tem a ver é o maior erro que podemos fazer, a mentira não perdura dentro do ambiente digital, as vidas estão expostas, os fãs sabem e sua credibilidade vai pro ralo.

 

- O que você pensa a respeito das polêmicas envolvendo youTubers como Everson Zóio e Cocielo?

Não penso nada sobre eles. Como “ser humano” penso em não julgar ninguém. Não cabe a mim falar deles ou apontar o dedo.

- Você acha que podem haver mais descobertas do tipo sobre atitudes de algum outro influenciador?

Acho que sim. Todos nos erramos e acertamos. Eu, Matheus, já errei em várias coisas, acertei em muitas outras. Penso, cresço, mudo, evoluo. O que realmente importa é aprendermos com erros e fazermos diferente.

Deixe seu comentário: