Testes em animais e humanos geram crise de imagem para montadoras alemãs

fusca

Três das marcas de automóveis mais emblemáticas da Alemanha estão envolvidas em mais uma crise de relações públicas. Uma reportagem do New York Times na quinta-feira e outras matérias em jornais alemães nos últimos dias revelaram que as construtoras Volkswagen, Daimler e BMW encomendaram e financiaram experimentos que submeteram macacos e até mesmo humanos a inalação de gases emitidos por motores a diesel. O objetivo era mostrar que a substância não era nociva ao atestar seus efeitos no sistema respiratório e na corrente sanguínea.

Para se defender, as empresas disseram desconhecer os detalhes da pesquisa realizada em 2014 (sob encomenda) por um grupo chamado EUGT (Grupo de Pesquisa Europeu sobre Meio Ambiente e Saúde no Setor de Transporte, na sigla em inglês). A organização, inclusive, encerrou suas atividades em 2017, antes que os estudos polêmicos viessem à tona.

Além da mídia negativa em veículos de imprensa de todo o mundo, o governo alemão repudiou publicamente a iniciativa. O vice-presidente da PETA, entidade global que luta por proteção para os animais, também encaminhou uma carta para o CEO da Volkswagen, Matthias Müller. "Não há nada de justo em condenar esses animais complexos e sensíveis ao sofrimento físico e a tortura psicológica em laboratórios onde eles são enjaulados e privados de ar fresco, sol, liberdade de movimento, companheirismo de outros, e quase tudo o que faz qualquer vida valer a pena”, diz o texto.

Confira o que as marcas disseram sobre o ocorrido em seus comunicados resumidos:

Volkswagen
"Os métodos científicos utilizados para realizar o estudo foram errados. Testes de animais são completamente incompatíveis com nossos padrões corporativos. Pedimos desculpas pelo comportamento inadequado".

Daimler
"Vamos esclarecer como o estudo surgiu e lançar uma investigação. A Daimler não tolera nem apoia o tratamento antiético dos animais. As experiências com animais no estudo são supérfluas e repugnantes".

BMW
“O BMW Group não participou do estudo mencionado e não realiza nenhuma experiência em animais".

Deixe seu comentário: