Cruzeiro muda camisa em alerta aos problemas das mulheres no Brasil

Cruzeiro

O futebol é um espelho da sociedade brasileira. Por isso, em tempos de goleiros Bruno, a ação em homenagem ao Dia Internacional da Mulher criada pela agência New360 em parceria com o Cruzeiro Esporte Clube, Umbro e a ONG Azmina é extremamente pertinente. Em defesa das mulheres, no jogo de hoje (08), o time entra em campo contra o Murici-AL pela Copa do Brasil usando números do uniforme para criar frases como: “A 11 min, um estupro” em duelo.

A diretora institucional da ONG Azmina, Letícia Bahia, destacou a importância deste movimento e acredita em um grande impacto no público e na luta das mulheres em um ambiente machista como o futebol. "Muita gente pensa que a luta pelos direitos das mulheres não faz mais sentido. Mas os dados que os jogadores vão exibir mostram o quanto essa questão segue sendo atual", enfatizou.

"O Cruzeiro Esporte Clube tem participado de diversas campanhas contra qualquer tipo de preconceito. Em pleno século XXI, não é tolerável ver as mulheres sofrerem atos de violência e discriminação. Com esta ação, nos juntamos a todos que combatem as desigualdades contra pessoas do sexo feminino. Esse é um dos papeis sociais que os clubes de grandes torcidas precisam sempre estar desenvolvendo", ressaltou o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, em entrevista ao site do clube.

Confira abaixo as estatísticas levantadas pela Azmina que os 23 jogadores convocados usarão na partida contra o Murici-AL:

Deixe seu comentário: