Experimento mostra como o valor de uma criança muda com sua aparência

unicef

O que vale mais: uma criança perdida dos pais ou uma criança que mora nas ruas? Essa pergunta pode parecer fria demais e em certa medida cruel, quando paramos para pensar em pessoas como “o que” e medimos seu valor como se fossem coisas. Infelizmente, é exatamente assim que a maior parte da sociedade vê seu semelhante caso ele não seja tão semelhante assim.

A UNICEF aborda o tema e prova isso com seu novo experimento social, lançado na última terça-feira com um vídeo que está sensibilizando o público nas redes sociais. No filme, a mesma criança é posta em duas situações diferentes. Primeiro, a pequena atriz Anano, de 6 anos, se passa por uma garota que está aparentemente perdida dos pais. Bem arrumada, a menina não se parece em nada com uma moradora de rua e vê muitas pessoas pararem para tentar ajudá-la a encontrar seus pais ou retornar para casa. Logo em seguida, Anano é caracterizada como uma criança em situação de rua, como tantas que vemos nas grandes cidades e o resultado é infelizmente o esperado: ela é ignorada.

As cenas se passam na rua e em um restaurante e a situação se repete nos dois ambientes. No vídeo, a UNICEF afirma ter interrompido a gravação, pois “Anano ficou aborrecida e triste”. O relato da menina sobre a experiência mostra como o tratamento das pessoas é condicionado pela aparência.

O filme faz parte de uma campanha global da organização que pretende mobilizar as pessoas a repensarem suas próprias atitudes para tentar construir um mundo melhor. Confira abaixo:

Deixe seu comentário: