Livraria responde críticos de exposição cancelada com promoção inusitada

sa
cena do filme fahrenheit 451 de Frank Capra

Em tempos em que o banco Santander cancela a exposição “Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, da qual ele era apoiador havia um mês em Porto Alegre, por comentários raivosos encabeçados pelo Movimento Brasil Livre (MBL), é natural que o debate sobre intolerância e limites artísticos fique ainda mais quente.

Decidida a se antecipar na discussão, a livraria carioca Leonardo da Vinci se inspira no obra Fahrenheit 451 de Ray Bradbury e cria uma irônica ação. Tal qual na história pensada pelo autor, que criou uma sociedade distópica onde censores invadem casas e queimam livros, a loja promove a sua “Primeira Queima de Livros”.

Com descontos progressivos, a ação garante 25% desconto às obras de artes, mais 5% de desconto se na capa tiver algum tipo de nudez e outros 10% de desconto se o cliente apresentar caixas de fósforos ou isqueiros no ato da compra. Confira abaixo a peça:

Deixe seu comentário: