"Repense o Elogio" encara dificuldade em interpretação de texto na internet

repense o elogio

Repense o elogio é uma campanha da Avon cuja intenção propõe ampliar o vocabulário de elogios que nossa sociedade costumeiramente utiliza-se para se referir a crianças do sexo feminino. O motivo? Culturalmente usamos termos relativos a habilidades para denominar os meninos e outros bem diferentes, que ressaltam a aparência, as “qualidades visuais” das nossas meninas. Os adjetivos mais usados? “Linda”, “princesa”, “fofa” para elas. Para eles “corajoso”, “inteligente”, “forte”. As diferenças que pautam os elogios de acordo com cada sexo “reforçam estereótipos de gênero e limitam as oportunidades de meninas e meninos”. Já parou para pensar nisso?

O filme dirigido por Estela Renner "Repense o Elogio" aborda vários temas correlacionados, da construção da autoestima das crianças às formas diferenciadas como, de maneira geral, a sociedade cria meninos e meninas. Mas antes mesmo de liberado o material completo, ao chegar nas redes sociais, o que era para passar uma mensagem leve de empatia, respeito e abertura de visão foi entendida da forma contrária. Diante da má interpretação da internet, o documentário, em sua versão completa, foi disponibilizado pela marca de forma gratuita neste link.

No post do Facebook em que a Avon divulga o trailer do filme, das 35 mil pessoas que reagiram a publicação, 13 mil foram “Grr”, diante das 16 mil curtidas e 4.900 “amei”. Muitos comentários se referem a uma “onda de ideologia de gênero” (ou ainda ideologia satânica) que “propagam a extinção da família”, alguns aproximam e comparam o “quão prejudicial” pode ser o feminismo, que “generaliza e desvaloriza os homens” e é um “mal assim como o machismo”.

No Youtube os números foram bem mais drásticos, o filme com  774.531 visualizações teve 5 mil likes e 74 mil dislikes e quase 9 mil comentários. O mais recentemente deixado na página da plataforma indica uma “mania de querer causar confusão e distorção nas crianças”. Diversos outros mostram a intenção de um boicote à marca, inclusive algumas hashtags foram criada para demonstrar a insatisfação que permeia alguns internautas. 

Pelo Twitter a discussão também abordou o fato da empresa usar sua comunicação para propor mudanças e disponibilizar em sua cartela produtos com temas de princesa, o que pode indicar a falta de entendimento em relação a campanha, mas também pode ser a sinalização do perigo que a falta de informação precisa, condizente e livre de preconceito, acaba dando espaço para que ocorra.

Em desacordo com parte da internet, até a Natura, concorrente da marca, usou suas próprias redes sociais para compartilhar e parabenizar a Avon pela ação. A atitude gerou interação entre as marcas e comemoração dos internautas.

 

Para Gabriela Tebet, pedagoga e pesquisadora de temas ligados à infância, "inconscientemente, a maioria dos adultos elogia meninos e meninas de forma diferente e, apesar de parecer inofensivo, os elogios têm um poder enorme de estabelecer normas e condicionar quem os está recebendo. Se por um lado os elogios nos motivam, por outro eles também nos limitam e é por isso que essa campanha é tão importante: porque nos mostra como cada um de nós, por meio de ações simples, acaba ajudando a perpetuar estereótipos ou romper barreiras”, e adiciona: “Não há qualquer problema em chamar uma menina de linda, mas esse não pode e nem deve ser sua única qualidade. É preciso, portanto, ampliar o repertório de elogios e lembrar que meninas e também meninos são lindos, inteligentes e muito mais que apenas isso”.

David Legher, presidente da Avon falou sobre o movimento: “Este documentário é a nossa contribuição para que mais pessoas parem para refletir sobre a forma como todos nós, inconscientemente, limitamos as possibilidades da mulher ao elogiarmos nossas meninas na maior parte das vezes por seus atributos físicos, desde muito cedo”. E completou: “É importante aprofundarmos a discussão sobre a desigualdade de gêneros na infância se queremos que a igualdade venha na maior velocidade possível”.

Sobre o ocorrido a Avon se posicionou, e nos encaminhou a nota:"Na Avon, acreditamos que todas as meninas são lindas e que devem ouvir isso desde cedo, mas também acreditamos que elas são muito mais do que isso. A proposta de Repense o Elogio é incentivar a sociedade a ampliar seu vocabulário de adjetivos, dizendo às meninas que elas são lindas, mas também inteligentes, perspicazes, criativas, determinadas, corajosas, engraçadas e capazes de realizar seus sonhos. Ao incentivar que os adultos mudem a forma elogiam as meninas, estamos ajudando-as a dar um sentido novo à beleza e, mais que isso, promovendo uma grande mudança comportamental nas famílias para que meninas e meninos se sintam confiantes na busca das mesmas oportunidades. Além disso, para nós, as discussões construtivas são aquelas onde os dois lados tem voz ativa e podem se expressar livremente. Por isso, sempre respondemos os comentários das nossas redes sociais e tentamos criar um espaço de diálogo com os seguidores, independentemente de eles estarem elogiando ou criticando nosso conteúdo."

Deixe seu comentário: