Spotify dá voz a artistas proibidos de entrar nos EUA

Spotify

No começo deste ano Donald Trump veio a público institucionalizar a xenofobia crescente nos Estados Unidos. Em meados de fevereiro, o presidente decretou a proibição de que cidadãos da Síria, Sudão, Somália, Líbia, Iêmen e Irã, entrassem no país.  A medida que gerou críticas e se força para passar pela Suprema Corte mostra a necessidade de dar voz a essas pessoas para que elas não sejam proibidas de nunca mais poderem falar em território estadunidense.

Em uma louvável iniciativa, o Spotify convidou artistas destes países para a ação “I´m with the banned”. Nela, os músicos se unem no Canadá para trocarem conhecimentos e tocarem músicas exclusivas para ação. Confira no vídeo abaixo um pouco do clima destes encontros:

Além disso, o aplicativo fez com que as playlists levassem ao hotsite I Am An Immigrant para que o ouvinte saiba mais histórias sobre imigração. Em entrevista ao portal The Drum, o Spotify alega que a campanha “explora  a história pessoal de cada artista e o papel complicado que a música tocou ao longo do caminho. Quando eles começam a trabalhar com seus colaboradores americanos, a música se torna um ponto de conexão universal ".

Confira abaixo a lista completa dos convidados para o projeto:

Kasra V - DJ e produtor de discos do Irã, especialista em tecno /deep house;
Moh Flow - Cantor e compositor da Síria;
Waayaha Cusub - Coletivo musical da Somália;
Methal – Cantor, compositor e multi-instrumentista do Iêmen;
Sufyvn - Produtor e beatmaker do Sudão;
Ahmed Fakroun - Cantor, compositor e multi-instrumentista da Líbia.

Deixe seu comentário: