Estudo revela perfil do social media brasileiro

social

O recente estudo produzido por Ana Cláudia Zandavalle, Analista de Inteligência Sênior da Vert Inteligência Digital, apresenta dados de demografia, formação e estudos, campo de trabalho, ferramentas, entre outros quesitos do mercado de inteligência de mídias sociais no país.

De acordo com a pesquisa, ao todo 128 ferramentas foram citadas, 30% a mais que 2015. As primeiras posições entre as mais mencionadas ficaram com Scup, Google Analytics e o Facebook Insights. Destaque para o Stilingue, software especializado em fornecer análises de influenciadores e de conteúdo na internet, que também entrou no ranking das mais influentes logo em seu primeiro ano de lançamento.

Quanto ao perfil destes profissionais, os dados se mantêm constantes: a região sudeste permanece à frente com 59% de profissionais no ramo de inteligência, predomina levemente o gênero feminino, com 52% de representatividade e a faixa etária dos profissionais, questão inserida em 2014, concentra-se na faixa de 19 a 32 anos, com a média de 28 anos.

No que se refere à formação, profissionais com mestrado e doutorado atingiram a maior representatividade desde o início da pesquisa: 10% do grupo estão cursando ou finalizou o curso, enquanto que o percentual da população brasileira com título é de 3,27% (CGEE, 2015).

Em relação ao campo de trabalho, um dos destaques foi a discrepância de média salarial entre homens e mulheres nos cargos de gerente, supervisor e diretor. A maior diferença chega a 81% para o gênero masculino, nos cargos de gerência.

Para Zandavalle, outro ponto observado é quanto à construção de um portfólio digital público, em que 38% dos profissionais afirmaram tê-lo, com ênfase para blogs e fanpages voltados para a área ou seu próprio negócio. “Esse número é relativamente baixo, considerando que a capacidade de análise é uma das habilidades mais valorizadas na área de inteligência e ter um portfólio ou um trabalho publicado é um ponto forte para uma contratação”, enfatiza.

O levantamento, que foi criado em 2011 por Tarcízio Silva (IBPAD) e teve como curador Júnior Siri (Leo Burnett) nos anos de 2014 e 2015, mapeou 368 profissionais de 24 estados em 2016. “Foi uma oportunidade gratificante seguir com este projeto que vem colaborando para o crescimento do mercado de inteligência de mídias sociais desde o início, sendo este o maior já realizado acerca dos profissionais do ramo no Brasil, complementa Ana.

Clique aqui para ver o estudo completo.

Deixe seu comentário: