Shippa? Facebook lança plataforma de namoro

amei

Atualmente, o Facebook passa por diversas polêmicas envolvendo políticas de privacidade. Com isso, a empresa vê suas ações caírem e usuários se desconectarem da plataforma. Para se desvincular dos escândalos e reforçar os vínculos da comunidade, Mark Zuckerberg anunciou uma ferramenta de encontros na rede social, cuja intenção é fazer com que: “o Facebook seja um lugar onde você possa iniciar um relacionamento significativo.”

O intuito é distanciar a rede da ideia de meio de comunicação e trazer interação entre pessoas e eventos, não apenas notícias. “Um em cada três casamentos nos Estados Unidos da América começam online”, disse Mark Zuckerberg na apresentação do F8, evento para programadores da empresa realizado em San Jose, na Califórnia.

A equipe do Facebook notificou que o aplicativo irá usar informações das redes, mas será separado do perfil. As funções serão as mesmas do Tinder, combinando gostos e ideais para possíveis matches. Os testes serão feitos no final do ano e Zuckeberg garante que os usuários terão privacidade na hora de utilizar.


Joey Levin, CEO do IAC, principal grupo do Match Group disse: "Podem vir. A água está morna. O produto deles pode ser ótimo para as relações entre Estados Unidos e Rússia". A frase mistura boas-vindas com uma crítica e piada às interferências russas nas eleições de 2016 nos EUA.

Já a CEO do Match Group, Mandy Ginsberg, foi um pouco mais pacífica: "Estamos lisonjeados que o Facebook está chegando em nosso espaço — e vê essa oportunidade global assim como nós — enquanto o Tinder continua a decolar. Estamos surpresos pelo timing, dado ao número de dados pessoais e sensíveis que vieram deste território", diz, se referindo aos escândalos da Cambridge Analytica.

"De qualquer forma, nós continuaremos a entregar aos nossos usuários inovação de produto e foco no sucesso de relacionamentos. Entendemos essa categoria melhor do que ninguém. A entrada do Facebook será revigorante para todos nós", finaliza.


As ações do Match, que é quando duas pessoas se ‘curtem’ em algum aplicativo de relacionamento, caíram 21% com o anúncio. Porém, o principal concorrente será o Tinder, embora o Facebook tenha intenção de juntar casais a longo prazo.

Deixe seu comentário: