App aponta quantas vezes mulheres são interrompidas por homens

Womannnn

No último ano, muito se falou sobre o fenômeno Manterrupting, um dos tipos de violência contra a mulher, considerado um comportamento machista, que se caracteriza justamente quando ela não consegue concluir sua fala por ser desnecessariamente interrompida por um homem. O tema efervesceu principalmente no período das eleições norte-americanas, quando Donald Trump interrompeu Hillary Clinton por 51 vezes, durante o primeiro debate entre os candidatos.

Inspirada nessa discussão, a agência BETC São Paulo idealizou o aplicativo Woman Interrupted, uma plataforma que contabiliza quantas vezes um homem interrompe a fala feminina. A novidade será lançada durante a semana em que se celebra o Dia Internacional da Mulher.

O objetivo do Woman Interrupted App é ampliar o debate em torno do Manterrupting. A novidade também visa a conscientização do público masculino, que muitas vezes não reconhece o comportamento.

“À primeira vista, pode parecer um problema pequeno, mas que reflete questões mais profundas da desigualdade de gênero no trabalho e na sociedade. O aplicativo é uma forma de mostrarmos que, na verdade, a interrupção é real e alarmante”, comenta Gal Barradas, sócia-Fundadora e Co-CEO da BETC São Paulo e única representante no ranking dos dez publicitários mais admirados por empresas anunciantes, segundo o estudo Agency Scope, da Scopen (ex-Grupo Consultores).

Apesar de poder ser utilizado em qualquer ambiente, o Woman Interrupted foi criado pela agência pautado no mercado de trabalho, para uso em apresentações e reuniões profissionais. Para utilizá-lo, basta fazer o download gratuito nos sistemas Android e IOS e começar a usar em um dos quatro idiomas disponíveis – português, inglês, espanhol ou francês.

Para identificar as interrupções com maior precisão, a plataforma solicita que o usuário calibre e registre sua voz. O app aproveita o microfone do celular para analisar conversas e detectar o número de interrupções durante o período em que estiver ativado. Com a voz do usuário como parâmetro e a diferença na frequência de voz masculina e feminina, sua tecnologia permite identificar em que momentos a usuária foi interrompida por um homem.

Em médio prazo, a BETC prevê o lançamento de um Dashboard Global que apresentará um overview dos dados coletados ao redor do mundo, em tempo real.

Idealizadora da plataforma, a BETC defende ser uma agência que tem a igualdade de gênero em seu DNA. “Tanto a presidência da rede quanto a de seus escritórios pelo mundo - Paris, Londres e São Paulo - são co-lideradas por um homem e uma mulher, desde sua fundação”, diz o comunicado da empresa.

Deixe seu comentário: