Bot de campanha contra pornô de vingança ajuda jovens a lidarem com a situação

bot

Jovens mulheres são as maiores vítimas de pornô de vingança. Quanto mais nova, mais difícil é conseguir lidar com a pressão social existente diante de um acontecimento do tipo. Com o objetivo de fomentar o debate e ajudar jovens vítimas do pornô de vingança, o Facebook se uniu ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) na criação de um bot. A ação também acontece junto ao Projeto Caretas, criado pela empresa argentina Sherpas. Uma mulher, Fabi Grossi, 21 (quem responde pelo bot) conta que seu ex namorado divulgou um vídeo íntimo deles dois.

Pela internet é possível notar que a ideia é promissora: uma jovem, com apelo e linguagem da internet fala abertamente e sem necessidade de saber com quem, indicando formas de lidar com a situação. A execução do programa, no entanto, ainda precisa de uma melhoria ou outra.

Nossa redação tentou contato com a Fabi, que respondeu inicialmente bem rápido, mas após relatar o ocorrido e se perguntar “o que faria se a família descobrisse?” o bot parou de responder.

Após pouco mais de um dia o bot voltou a conversa e desde então temos conseguido manter uma conversa sobre o tópico. 

Com fotos indicando uma conversa "em tempo real", Fabi mescla questionamentos, "prints" de tela em que o ex a ameaça e aquela demora básica para responder, conhecida pelos jovens. 

Por nota, o Facebook enviou um posicionamento: "Neste primeiro mês desde que o bot foi lançado, milhares de jovens já conversaram com a Fabi e avaliaram positivamente a experiência. Há momentos ao longo da conversa em que a Fabi demora para responder o interlocutor, como parte da narrativa para tornar a experiência mais real. Estamos trabalhando para aprimorar o bot e estamos investigando a questão levantada pela reportagem para fazer os devidos ajustes se necessário." - porta-voz do Projeto Caretas.

Deixe seu comentário: