Plataforma transforma publicidade indesejada em anúncios de ONGs

brand safety

A fim de lidar com um universo de publicitários e marcas cada vez mais preocupados com o espaço em que seus anúncios são exibidos na internet, a Calhau Social, plataforma digital dedicada a promover o “marketing do bem”, acaba de lançar uma solução: o Mídia do Bem, ou só MDB.

O funcionamento é simples: a marca cria uma blacklist personalizada de palavras ou frases que não quer associar sua imagem, então, o MDB faz a busca automatizada e em tempo real dessas palavras em meio a textos, conteúdo editorial, matérias, e analisa o risco que a marca corre com essa associação. A partir dessa análise, não permite que a publicidade seja exibida ao lado desse conteúdo.

Pesquisas feitas pela própria startup indicam que 30% das campanhas publicitárias são veiculadas ao lado de apologia à violência, e aproximadamente 25% a conteúdo adulto. Para Sheila Piestun, CEO da Calhau Social, a medida gera mais assertividade: "Queremos acabar com essa prática de "tiro no escuro" que a internet vem se tornando. Agora é a hora de definir o tipo de empresa que você quer ser, a que aparece em vídeos de terrorismo ou a que se realmente se importa onde sua mídia está inserida”. Thiago Silvestre, CTO da Calhau Social complementa: "Evitamos aquele print que muitas vezes pode prejudicar a imagem de uma empresa, diminuir vendas e fazer as pessoas questionarem a idoneidade dela”.

Com a MDB, além de promover a transparência de onde e quando os anúncios estão aparecendo, é possível também ajudar organizações sociais, medida que é “a essência da Calhau Social”: "Uma vez que decidimos não exibir a mídia do cliente, podemos trocar esse banner pelo banner de uma organização social e, assim, impulsionamos a divulgação do terceiro setor."

Deixe seu comentário: