Agora, o assunto é inovação com uma ideia inédita no país. Você já ouviu falar em ‘branded entertainment’? O Grupo Dreamers, antigo Grupo Artplan, anunciou a mais nova consultoria do país com foco em construção de plataformas de marca 100% no tal chamado ‘branded entertainment’. Para ser mais claro, a FUN chega para acompanhar as novas tendências e suprir as demandas dos anunciantes nos dias de hoje. 

A nova empresa tem como resposta o uso do entretenimento como meio de conexão e relacionamento com os públicos, e este é o novo desafio enfrentado pelas grandes marcas, o alcance e a atenção do consumidor após as diversas experiências espalhadas pelas redes após o início da pandemia. 

O Grupo Dreamers já conta com diversos expertises, como o Rock in Rio e Dream Factory, por isso, para saber um pouco mais do que será este novo momento de branded entertainment no país, nós conversamos com Ana Deccache, Head da FUN, que nos conta as expectativas, o diferencial e as estratégias da empresa que promete realizar novas ações com o propósito de conectar as empresas aos seus públicos, por meio da diversão! Confira agora a entrevista: 

 

ADNEWS – De onde surgiu a ideia de iniciar um projeto como a FUN?
Ana Deccache: A ideia da FUN surge de uma combinação de contextos que nos leva a afirmar que entretenimento é, hoje, uma das principais ferramentas de marcas a fim de se conectarem com as suas audiências.   

O primeiro deles é que hoje, mais do que nunca, é preciso garantir que a mensagem seja relevante para quem a recebe, pois diante da quantidade de informações a que todos somos expostos diariamente, sabemos que pouco do que se recebe é, de fato, absorvido. 

Além disso, diante da profusão de conteúdos disponibilizados atualmente, sabemos que hoje a audiência tem o poder de escolher o que quer consumir, sobre o que quer falar e com o quê quer se conectar. 

Por fim, vivemos a “Era das experiências” e isso significa que as pessoas estão menos preocupadas em consumir e mais voltadas para a vivência e experimentação de novas sensações.  

Neste cenário (de guerra pela atenção, excesso de oferta de conteúdo e anseio por experiências), o entretenimento é a ferramenta perfeita para garantir a atenção, a conexão e o engajamento do público.

Diante disso, entendemos que era relevante criarmos uma consultoria 100% focada em pensar e acelerar projetos de BRANDED ENTERTAINMENT. 

   

AD – A grande demanda de conteúdos vindos da internet e o boom das redes sociais aceleraram ainda mais a necessidade de ter uma consultoria focada em entretenimento?  
Deccache: Sem dúvida. O advento da internet e a ascensão das redes sociais criaram os contextos que citei acima – a profusão de mensagens gerou a falta de atenção e o estabelecimento das redes consolidou o espaço e a dinâmica das conversas coletivas.

Em paralelo, a exposição de nossas vidas nos feeds de redes é o que (inicialmente) fomenta o início da “Era das Experiências” (e o fenômeno dos conteúdos “instagramáveis”).  

  

AD – Para vocês, qual é a expectativa de mudança no mercado após o início da FUN?  
Deccache: Acreditamos que a FUN acelerará um movimento que já está em curso no mercado: o de crescimento de estratégias de marcas focadas em BRANDED ENTERTAINMENT. Ou seja, estratégias que se apropriam de assets de entretenimento para atingirem, de maneira mais orgânica, a sua audiência.   

Nossa oportunidade de negócio está no fato de que, hoje, muitas marcas caminham neste sentido, mas não encontram players especializados para serem parceiros relevantes. É este GAP que queremos suprir.  

  

AD – Como será o processo de construção de uma marca à moda FUN?  
Deccache: Entregamos dois serviços principais para o mercado: atuação consultiva e aceleração de projetos de entretenimento. 

No primeiro, temos como premissa construir (ou potencializar) plataformas de entretenimento Always on, integradas e multidisciplinares para as marcas, definindo desde os territórios de atuação até as ações que tangibilizam e dão vida à plataforma. 

Ao mesmo tempo, podemos trabalhar como aceleradores de projetos de entretenimento para marcas que já apresentam premissas estratégicas (e eventualmente até projetos definidos), mas que sentem dificuldade para avançar neles – seja em função da complexidade do ecossistema de entretenimento ou do desconhecimento dos parceiros tradicionais deste universo.  

  

AD – Para você, o que será essencial para a FUN neste primeiro momento? O que destaca a FUN do resto do mercado?  
Deccache: Alguns fatores nos destacam. Um deles é o fato de sermos a primeira consultoria 100% focada em BRANDED ENTERTAINMENT do Brasil. Vivemos para estudar, pensar, planejar e executar estratégias focadas em entretenimento. Essa é a nossa especialidade.   

Quando me perguntam o porquê uma marca deveria procurar a FUN para ajudá-la a pensar a sua estratégia de entretenimento, eu gosto de brincar perguntando: “Se você estiver com uma dor de ouvido, vai procurar um otorrino ou um ortopedista?”. Para mim, este é um grande diferencial. Nós respiramos entretenimento e amamos fazer isso.  

Além disso, contamos com a história, o know how, as empresas, os profissionais e os parceiros do Grupo Dreamers na área de entretenimento. São mais de 50 anos de história e alguns dos maiores cases do mercado, além de empresas reconhecidas como especialistas em entretenimento, como o Rock in Rio, a Game XP ou a Dream Factory, para citar alguns exemplos.  

Temos o conhecimento, a história, os contatos e o apoio do maior grupo de entretenimento do Brasil.