Sentimento de orgulho e de gratidão à flor da pele por fazer parte desta história!

Nunca vivi tão intensamente a mídia exterior, como nos últimos dois anos e meio. Ao lado dos canais digitais, o OOH cresce vertiginosamente. Com a indústria do entretenimento tão aquecida e, por sua vez, as marcas nos desafiando constantemente a pensar além do convencional, temos nestes dois meios um mar de oportunidades.

Aqui, vale um parêntese para destacar que também acompanho a angústia dos profissionais envolvidos no dia a dia da mídia exterior. Vencer os obstáculos para viabilizar as ações de publicidade, mantendo as cidades com maior identidade visual e respeitando a legislação e a população, não é tarefa fácil. E ainda tem as agências e os anunciantes atrás de soluções criativas fora do lugar-comum, pressionando com ideias – muitas vezes – impossíveis de serem colocadas na rua.

Um dos players que vêm se destacando globalmente com excelentes saídas para a equação acima é a JCDecaux. Na semana passada, nós do Grupo de Mídia de São Paulo tivemos o grande prazer de conhecer a sede da empresa francesa, ao vivo e a cores.

Chegando lá, ficamos surpresos com as dimensões do local. A começar por ser um palácio, onde viveu a família Decaux, e que atualmente abriga cerca de 2 mil colaboradores. A sede gigantesca conta ainda com um “media lab”, específico para testes de interação, e uma fábrica a todo vapor.

As construções estão rodeadas por uma quantidade enorme de peças de mobiliários urbanos, já utilizados ou prestes a entrar em uma nova campanha publicitária. Entre as inúmeras inovações, fomos apresentados até a um “abrigo-alarme”, uma estrutura com sensores para identificar eventuais assaltos em seu entorno.

Só quem trabalha na indústria da comunicação e vive intensamente e com muita paixão a mídia pode entender a emoção que senti ao entrar no mundo nativo da JCDecaux.

Tive a honra de conhecer monsieur Decaux em Cannes, quando a empresa recebeu o merecido prêmio de melhor e mais importante veículo de comunicação, no Festival de Criatividade. Na ocasião, ele comentou em rápidas palavras como transformou “um limão” em uma das maiores empresas de mídia exterior da França e do mundo, literalmente.

Encarregado de cuidar da rede de lojas de calçados do pai, o então jovem francês teve uma ótima ideia para zerar o estoque: espalhar “lambe-lambes” pelas ruas de Paris. Deu certo. As vendas foram excelentes. Contudo, seu pai, avesso à popularidade gerada pela propaganda “não autorizada”, o expulsou de casa e fechou as lojas.

Apesar do imbróglio familiar, a veia de empreendedor e o DNA de inovação falaram mais alto. Decaux percebeu que, com a comercialização de espaços publicitários em espaços diferenciados, poderia ajudar inúmeras empresas a se tornarem mais conhecidas e, consequentemente, a melhorarem suas vendas. Com esta missão, nasceram, em 1964, a JCDecaux e o conceito de Mobiliário Urbano. Um case de sucesso que só melhora com o tempo.

Existem momentos que são únicos. No meu caso, com certeza, ter visitado a JCDecaux na França é um deles. No final das contas, ninguém disse que a vida seria fácil, mas sim que valeria a pena!

Por Luciana Schwartz – diretora de mídia Omnichannel da VML

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald