Inbound marketing é um conjunto de estratégias muito utilizadas pelos profissionais de marketing, com o objetivo de agregar valor à marca. Essa ferramenta busca atrair e converter clientes com conteúdo relevante por meio de blogs, podcasts, e-Books, newsletters, whitepapers, entre outros. Ou seja, você atrai seus públicos pela mensagem que passa.

Segundo dados da iMedia Connection, portal dedicado aos profissionais de marketing, 60% dos consumidores apresentam visão mais positiva sobre uma marca depois de consumir conteúdo da mesma. Ou seja, tais dados nos mostram que o inbound tem surtido bons resultados. Porém, é imprescindível que ele seja feito de maneira correta, caso contrário, o efeito pode ser muito negativo. Dessa maneira, é preciso entender, principalmente, quais são os piores erros quando falamos em inbound marketing. Confira!

1. Inbound marketing não se resume a presença nas redes sociais

A presença nas redes sociais funciona como um meio complementar, não como um processo substituto. Se alguém contou a você que criar uma página no Facebook é fazer Inbound, saiba que você foi enganado. Claro que o Facebook, para ficarmos no exemplo da principal rede social da atualidade, é uma ferramenta poderosa. Mas isso não significa que será sempre a melhor opção para todos os tipos de negócio. Há casos, por exemplo, que o LinkedIn, que é uma mídia social mais focada no âmbito profissional, pode trazer resultados muito melhores.

2. Pensar que Inbound Marketing é o mesmo que SEO

SEO é uma parte integrante da estratégia de Inbound Marketing, mas não resume toda essa metodologia. Seu site ou blog pode estar bem otimizado, com o uso de palavras-chave de cauda longa, mas se o seu conteúdo não for relevante e apenas estiver repetindo esses termos sem uma contextualização, saiba que isso poderá prejudicar a imagem de sua empresa, sendo ela classificada como praticante de SEO black hat, e perdendo o interesse de seu cliente ao deparar-se com um conteúdo pobre e que não agregou valor a ele.

 3. Parar de prospectar clientes

O Inbound Marketing não deve ser visto como única forma para atrair clientes para o seu negócio. Ele ajuda muito, mas não deve substituir ações comerciais e precisa ser complementado também por ações de comunicação e marketing tradicional – gerando uma estratégia de marketing convergente.

4. Entender o Inbound Marketing como mais um “entregável”

Na pauta de trabalho de algumas equipes pode constar, por exemplo “criar cartaz para promoção do PDV” e “criar peça de Inbound Marketing”. Esse é um grande erro. Ainda há empresas que entendem o Inbound como um “entregável” e não como uma metodologia de trabalho. Essa metodologia deve perpassar todas as ações de marketing digital da empresa, fazendo parte de sua essência e não apenas de uma peça de divulgação.

 

5.  Não investir corretamente

Toda empresa busca minimizar custos e maximizar o lucro, mas para atingir o resultado esperado com um projeto de Inbound Marketing, é necessário certo investimento em recursos seja ele qual for. O ponto principal nesse caso é entender o que faz sentido para o negócio e aí sim, fazer esse investimento. Por exemplo, não adianta oferecer milhares de e-books para um público que tem pouco tempo para uma leitura mais densa. Nesse caso, é mais assertivo um blog onde as informações são distribuídas de forma mais sucinta.

6. Publicar conteúdo genérico e não relevante

O chamado “tiro de canhão”, no jargão jornalístico, não vale para o Inbound Marketing. Para ter eficácia, é preciso levar até o cliente conteúdo que seja útil e relevante  para cada tipo de persona. Assim, se você está enviando e-mail marketing com conteúdo genérico e sem segmentação, que não ajuda a resolver as dores de seu cliente, você não está fazendo Inbound Marketing.

7. Acreditar que Inbound Marketing é apenas mais um modismo

É fato que no mundo do marketing novidades surgem diariamente e muitas delas desaparecem com a mesma velocidade com que nasceram. Se você acha que o Inbound Marketing é um exemplo disso e fez alguns blog posts, criou uma página no Facebook e lançou um e-book só para não ficar “fora da moda”, saiba que não é o caso.

Em linhas gerais, o Inbound veio para ficar. Ele é uma evolução de uma visão que já está presente no mercado há muito tempo: tornar sua empresa visível e fácil de encontrar, gerar autoridade a ela, oferecer valor ao cliente, encantá-lo e ajudá-lo em seu processo de compra, fidelizando-o. Se você consultar os primeiros manuais de marketing, já verá lá indicações desse pensamento. O que o Inbound fez foi atualizá-lo e torná-lo aderente ao novo perfil do consumidor e às demandas atuais de mercado.

*Eduardo Fonseca é CMO da DIWE, primeira agência de profound marketing do país. Criada a partir da fusão das marcas WCK, pioneira em inbound marketing no Brasil, e a Next Idea, foca em digital strategy, a empresa aplica em todas as suas propostas a premissa de estar presente no dia a dia dos clientes, entender sua realidade e propor ações autenticas, passando por um intenso processo de questionamento de escopos moldados a antigos padrões de mercado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald