Por Priscilla Guedes

O mundo tem mudado e as nossas expectativas em relação as marcas e os seus posicionamentos também. A mídia social deu voz a milhares de pessoas, que hoje podem deixar suas opiniões registradas em posts que se tornam rastros digitais eternos. Nada mais passa batido, nem mesmo um grande nome como a Victoria’s Secret.

No ultimo dia 08 de novembro, a marca apresentou o seu famoso Fashion Show, programa que é exibido na TV americana e tem grandes índices de audiência. Todas as grandes modelos como Gisele Bundchen e Naomi Campbel já passaram por lá.

Mas neste ano, era esperado uma grande mudança. Era esperada a tal da representatividade.

Em um mundo que diariamente mulheres morrem em busca de um padrão de beleza inatingível, e se mutilam para se parecer com uma imagem de revista (que não representa nada além de imagens tratadas por programas de edição), é inaceitável uma marca com grande relevância continuar sem se importar com o caos que está gerando na mente de milhares de jovens e mulheres.

Daí você pode me dizer: “Pri, a marca é deles e eles colocam quem eles quiserem”.
E eu vou te responder: a marca é deles sim, eles colocam quem eles quiserem sim. Mas tomando esta decisão, é preciso se conscientizar que esta simples escolha está matando diariamente.

 

Representatividade importa!

Se sentir aceito, se ver em uma modelo, se ver dentro daquela roupa. Saber que o mercado não aceita apenas o seu dinheiro, mas que te aceita como um todo, importa.

Afinal, quando uma mulher plus size vai comprar, a marca vende para ela e aceita o seu pagamento, não apenas a de pessoas manequim 36. Então, se o meu dinheiro vale, por que eu não valho? Por que eu não mereço ser representada?

Este ano tivemos até mulheres amamentando na passarela, leia aqui. Tivemos uma participante do miss Itália usando uma prótese na perna, leia aqui. Estes avanços são um sinal, de que estamos no caminho certo.

 

Chegou a nossa vez! A vez das mulheres REAIS!

Chegou o tempo em que as mulheres precisam se posicionar, colocar a cara no sol, e mostrar que todos os corpos são importantes. Todas nós temos valor e que todas merecemos nos sentir representadas.

Compre de quem te valoriza, compre de quem te enxerga. Vamos investir o nosso dinheiro em quem merece ter a sua mensagem perpetuada

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial Google

+ Ver mais

Quer falar com mulheres? Olhe para os dados, não para os estereótipos

por Artigo de Kate Stanford, diretora global de marketing e publicidade no Youtube

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald