O ano está apenas iniciando, mas já existe a certeza de que este é um momento decisivo e de grandes mudanças na comunicação. O mercado está repleto de marcas cada vez mais entusiasmadas e engajadas, apoiando causas e campanhas com bons propósitos, o que traz à tona a sustentabilidade.

Muitas pesquisas mundiais apontam que os consumidores estão cada vez mais dispostos a contribuírem com projetos que promovam mudanças sociais e ambientais. Ao considerarem o materialismo desenfreado demasiadamente egoísta – principalmente numa sociedade em que justiça, saúde, alimentação, segurança e, principalmente, educação, ainda não estão acessíveis a todos – os consumidores mais conscientes tendem a apoiar marcas que não ignoram esses problemas e que vão além, incluindo em suas prioridades projetos que promovam mudanças.

Esta tendência deve-se à confiança dos consumidores em relação à sua capacidade de mudar o cenário e ter uma voz mais ativa, mas também graças ao avanço da tecnologia, que lhes permite maior acesso às informações, a participar de causas diversas e que os possibilitam exibir o seu impacto social.

Segundo um estudo da Nielsen, a percentagem de consumidores dispostos a pagar valores mais elevados por produtos e serviços de empresas que retribuem à sociedade é de 66%. E de acordo com estudos feitos sobre tendências de consumo, realizados pela empresa Trendwatching, a pressão para que as marcas apresentem soluções sociais inovadoras vai aumentar na medida em que o público ficar mais exigente.

Se a sua empresa quiser agarrar a oportunidade e criar iniciativas semelhantes no Brasil, não pense em campanhas simples e de baixo impacto, pelo contrário. Campanhas ousadas, que envolvam os consumidores e mostre-lhes como podem contribuir para ajudar as causas que apoiam, são as grandes apostas para 2016.

As empresas e as marcas que quiserem se destacar nos próximos anos precisarão apresentar produtos, ações e campanhas que influenciem e contribuam para uma sociedade mais altruísta e mais comprometida em tornar o planeta mais sustentável. Isso cria empatia, engajamento e fideliza o público-alvo. Transmitir essas informações e mostrar quais trabalhos vêm sendo realizados pelas companhias é outro ponto importante nessa relação. É essencial usar as tecnologias, veículos de informação e redes sociais para apresentar iniciativas, ao mesmo tempo em que conquista o público, ganha novos apoiadores e adquire ainda mais credibilidade no nome e nos projetos. 

Artigo encaminhado por Catharina Gatz Birle, diretora comercial do site CicloVivo, formada em Comunicação Social pela Universidade Anhembi Morumbi e graduada pela USP.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald