Por mais que as pessoas estejam se conscientizando cada vez mais com os assuntos ambientais, ainda precisamos de medidas para tornar esse tema prioridade. Para se ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa recente realizada pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o Brasil ocupa a quarta posição entre os países que mais produzem lixo plástico no mundo e recicla apenas 1% desse total.

Em um país com uma ampla área de agricultura e pecuária, onde somos privilegiados por um clima que pode nos proporcionar muitos frutos para a economia, ter uma posição tão ruim como a citada acima é um cenário alarmante. Com uma geração mais ‘cabeça aberta’ que já nasceu mergulhada em uma grande quantidade de informações, e com a ajuda da tecnologia, esse cenário já deveria ser diferente.

Os últimos acontecimentos com a amazônia provaram que as pessoas se indignam com a falta de consideração daquilo de mais precioso que temos e se questionam: por que ninguém dá valor para isso? As pessoas não têm noção do que as futuras gerações terão que pagar por isso? Essas são as provas de que ainda precisamos investir em técnicas para ajudar o meio ambiente. E qual seria o caminho para potencializar a divulgação de um problema tão presente para nós brasileiros? A resposta está no marketing ambiental, que apresenta uma grande importância nessa longa jornada.

Um exemplo são os mobiliários urbanos que podem ser instalados em cidades e até em empresas, com o intuito de implementar campanhas de reciclagem – proporcionando lixos de coleta seletiva, junto com mensagens de incentivo sobre os resíduos, para que as pessoas joguem o lixo no lugar certo. O dinheiro investido para a implementação do material naquele determinado local, pode ser revertido para ações de coleta seletiva em comunidades, em parceria com empresas, para que a população veja os resultados e cuide melhor da região.

Esse tipo de marketing já foi implementado em locais como Fernando de Noronha, Paraty, São Sebastião, Trancoso, Saquarema, Florianópolis e Peruíbe. Assim como as cidades, os parques também podem ser beneficiados com uma promoção da coleta seletiva, melhorando a qualidade de vida das pessoas que frequentam o local, através do mobiliário/gestão de resíduos. Também temos a ideia de aproveitar a tecnologia para o desenvolvimento de uma plataforma que mostrará a questão da flora e fauna, ações sócio ambientais, questões de esporte, saúde, além de disponibilizar a programação semanal daquele determinado parque.

Problema do lixo pelo mundo

Assim como o Brasil, outros países e regiões ainda enfrentam os problemas do lixo. Gosto de usar como exemplo o Monte Everest, um dos pontos turísticos mais famosos atualmente. Para quem não sabe, o local tem sofrido muito com a quantidade de lixo e dejetos humanos e pessoas que se arriscam na trilha. Apenas em 2017, alpinistas resgataram cerca de 25 toneladas de resíduos sólidos na montanha e, em 2019, uma expedição de limpeza organizada pelo Nepal recolheu por volta de 11 toneladas de lixo e quatro corpos.

Aproveitando ainda mais o marketing nas questões ambientais, irei desenvolver com a minha equipe um documentário para registrar os aspectos ambientais inerentes a trilha, com o objetivo principal de realizar uma aventura para promover o consumo consciente e o descarte adequado de resíduos durante toda a viagem, caracterizada por um meio ambiente frágil e com grande número de turistas o ano todo. Além disso, também pensamos em criar um manual de sustentabilidade para um comportamento responsável na montanha. Assim, depois de alertarmos todos por meio do documentário, iremos trazer formas das pessoas criarem uma consciência ambiental e também aprenderem a controlar o lixo.

Portanto, é fácil entender o quanto o marketing é importante para conscientizar e alertar o mundo todo sobre os problemas ambientais, infelizmente, ainda muito frequentes. Com as facilidades que as novas tecnologias têm proporcionado para nós, a tendência é que esse tipo de conscientização se torne mais frequente e alcance cada vez mais um número maior de pessoas.

*Caio Pereira de Queiroz atua há mais de 20 anos no mercado socioambiental. Pioneiro no ramo de coleta seletiva, é especialista em implantação de Sistemas de Gestão de resíduos, e no desenvolvimento de programas de Marketing Ambiental. Possui expertise em programas corporativos e municipais de resíduos, publicidade e propaganda. Também é sócio da Mídia Sustentável, empresa que constrói e gere plataformas de sustentabilidade que aliam gestão ambiental, marketing socioambiental e mídia OOH, que sejam efetivas para a marca e amigáveis ao meio ambiente, deixando um legado positivo para a sociedade.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdGeek

+ Ver mais

Saraiva prepara para fãs estreia de STAR WARS

por Nicole Fanti Siniscalchi

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald