Um estudo elaborado pela GfK, empresa de pesquisa de mercado, aponta que as vendas da Black Friday 2019 crescerão 4% no Brasil, arrecadando um total de R$ 13,5 bilhões em bens duráveis. Apesar do ligeiro aumento na estimativa de compras, a data continua sendo de extrema importância para o varejo.

Em 2019, a Black Friday acontecerá no dia 29 de novembro, e a grande novidade deste ano é que o percentual de consumidores que pretende comprar, tanto nas lojas físicas como nas virtuais, saltou de 7%, em 2018, para 25%. De acordo com dados divulgados pelo Google, 37% dos consumidores farão compras somente em lojas físicas e 38% apenas nos e-commerces.

Conhecer a jornada de compra do consumidor e ter estratégias de marketing digital consistentes são os pontos que farão a diferença para que a decisão de compra do cliente seja pelo comércio eletrônico.

Uma pesquisa feita pelo SPC Brasil, para compreender os padrões de comportamento e de compras dos consumidores, revelou que seis em cada dez pessoas (63%) garantem visitar lojas físicas antes de concluir uma compra. Ao passo que nove em cada dez (90%) consumidores virtuais buscam informações sobre o produto na internet, antes de comprar em lojas físicas.

Integração do digital e varejo físico

Uma dica para equilibrar o preço médio dos itens, sem deixar mercadoria parada, é concentrar os esforços de anúncios em itens com maior valor agregado. Em 2018, produtos considerados premiuns (de preço elevado) tiveram descontos superiores a 15% e suas vendas aumentaram em 20%.

Ao comprar online, o consumidor possui acesso a um número maior de ofertas, em decorrência da possibilidade de um e-commerce oferecer a seus clientes uma quantidade maior de variações de um mesmo tipo de produto – cores, tamanhos e modelos. No entanto, com o celular em mãos, esse mesmo consumidor pode comparar preços e características e ter, ainda, mais critérios que influenciam em sua decisão de compra.

Por outro lado, o comércio físico tem a necessidade de saldar produtos para liberar espaços. Entretanto, nem sempre o consumidor encontrará uma blusa de sua cor preferida, por exemplo, e nesse sentido, os estabelecimentos físicos oferecem descontos mais agressivos para convencer seus clientes.

Como destacado anteriormente, as vendas online para a Black Friday permanecem estáveis, mas essa é a oportunidade ideal para integração do digital com o varejo físico para influenciar na jornada de compra do cliente.

Que tal utilizar o recurso de “retirar na loja” para conquistar os ansiosos ou mesmo a confiança de quem nunca comprou online? Separar produtos da loja física e do e-commerce, para a ação de Black Friday, também é uma ótima forma de equilibrar preço e ticket médio de sua empresa.

 

Por Murilo Borrelli, CEO da ROI Mine.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AdInsights

+ Ver mais

A Gillette sabe o que faz. Já Neymar…

por Adinsight por Leonardo Araújo

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald