No início de 2012 a NBS criou o primeiro negócio voltado para impacto social de uma empresa do ramo publicitário: a NBS rio+rio. Passados seis anos de trabalho de campo nas favelas da cidade e aprofundamento sobre o tema, a agência decidiu expandir seu território de atuação e está lançando a NBS SoMa (Social Marketing).

O novo departamento vai desenvolver e implementar projetos que promovam impacto positivo nas periferias das grandes cidades brasileiras, começando com projetos em São Paulo e Manaus. Todos os projetos vão seguir a mesma orientação: precisam produzir alguma transformação na realidade dos moradores e, ao mesmo tempo, precisam gerar retorno financeiro e/ou reputação para as marcas envolvidas.

“Nós acreditamos que a relevância das marcas está diretamente relacionada à sua capacidade de transformar a vida das pessoas e as favelas e periferias do país são territórios pujantes e repletos de oportunidade para essas transformações. Temos trabalhado com esse princípio há alguns anos. Erramos, acertamos, aprendemos muito e estamos prontos para crescer e levar essa ideia para outras cidades do país”, explica Aline Pimenta, diretora de marketing social da agência.

Com um trabalho reconhecido e admirado por moradores de diversas comunidades da cidade do Rio e iniciativas como o Projeto Favelagrafia, que ganhou projeção mundial e mudou a vida de jovens fotógrafos de nove favelas, a NBS rio+rio foi responsável por desenvolver um novo jeito de pensar e implementar projetos. Neste período, dezenas de projetos foram para a rua com clientes como O Boticário, Nike, Globosat (Gloob), Asics, Sanofi, Aegea, entre outros. Também foi através da NBS rio+rio que o economista bengalês Muhammad Yunus, vencedor do prêmio Nobel da Paz, visitou o Santa Marta e conheceu alguns projetos idealizados e realizados por empreendedores brasileiros de favela.

A NBS SoMa seguirá o mesmo modelo, mas agora com uma abrangência nacional. Um dos objetivos da agência é liderar a discussão sobre a questão das periferias e o papel das marcas em processos de transformação social.

“As periferias brasileiras continuam muito fora do radar das marcas. São locais com enorme potencial, mas com demandas também gigantes. A NBS SoMa acredita que as empresas podem – e devem – ter um papel ativo no preenchimentos destas lacunas. Felizmente, entramos numa era onde a capacidade de produzir impacto social positivo vai ser cada vez mais um indicador fundamental de sucesso do desempenho de uma empresa”, finaliza André Lima, co-CEO da NBS e responsável pelo projeto na agência.

Os projetos podem ser viabilizados por meio de verba direta ou com verba incentivada.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Especial Google

+ Ver mais

Quer falar com mulheres? Olhe para os dados, não para os estereótipos

por Artigo de Kate Stanford, diretora global de marketing e publicidade no Youtube

Especial TV Aberta

+ Ver mais

Como a TV conversa com o Youtube?

por Gabriel Grunewald